De mãos

Scanner_20160801 (3)

Ontem, andando pela Andradas, me deu vontade de fotografar esses guris que caminhavam de mãos dadas na minha frente. E depois deu vontade de publicar.
Não, não é porque eu ainda ache diferente ou novidade. Claro que não. É porque imagino que um dia a Andradas estará cheia de guri de mão com guri e guria de mão com guria.
E espero que eles sejam admirados, observados e até fotografados, como fotografamos tudo o que se repete e continua nos surpreendendo e nos tocando, como o pôr do sol, os bichos, os filhos e as árvores.
Eu gostei da cena, porque percebi no jeito de andar dos dois que eles estavam leves e felizes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 4 =