E AGORA, SERGIO MORO?

Sergio Moro flanava em Curitiba. Tinha time próprio e exclusivo, somente se envolvia com processos contra o PT e contra Lula. Moro era adorado pela direita como uma figura inatacável do Judiciário.

Grampeou Dilma e Lula, mas não deu nada. Mandou a gravação do grampo para a Globo e não deu nada. Determinou que Lula fosse submetido à condução coercitiva e não deu nada.

Condenou Lula sem provas e não deu nada. Participou de festas com Aécio e não deu nada. Tirou fotos e dividiu mesas de comilanças com Doria Junior em Nova York. Desafiou o Supremo várias vezes. Não deu nada.

Foi nomeado ministro da Justiça de Bolsonaro, na maior cara dura, e acha que não vai dar nada. Que continuará flanando, sem pressões, com o apoio unânime dos ‘liberais’ e da imprensa.

Mas Moro, o ex-justiceiro, já tem pelo menos três pepinos que irão testá-lo, agora em cargo político que ele tenta vender como se fosse um cargo técnico.

Paulo Guedes, o ministro da Fazenda que o recebeu na primeira visita à casa de Bolsonaro na Barra da Tijuca, está sendo investigado pela Polícia Federal por fraudes em fundos de pensão. A Polícia Federal está sob o comando do ex-juiz.

Flavio Bolsonaro, deputado estadual, eleito senador pelo Rio, filho de Bolsonaro, era chefe de Fabrício Queiroz, ex-PM flagrado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) por ter movimentado R$ 1,2 milhão durante um ano e depositado R$ 24 mil na conta de Michelle Bolsonaro.

Queiroz, já afastado do gabinete do deputado (por que saiu?) era motorista e segurança do deputado. De onde tirou tanto dinheiro? De quem é essa dinheirama?

Moro vai descobrir, porque será o grande chefe do Coaf. Bolsonaro fez questão de deixar o Coaf sob as ordens do ex-magistrado.

Tem Mais. Onyx Lorenzoni, futuro chefe da Casa Civil, que admitiu ter recebido caixa dois (mas não é propina) de R$ 100 mil em 2014, está sendo investigado por ordem do Supremo por mais um caixa dois de R$ 100 mil (mas não é propina) de 2012, que ele nega.

É complicada a situação de Sergio Moro, porque Onyx pediu desculpas pelo primeiro caixa dois. E Moro sempre disse que caixa dois é crime grave. Mas admitiu que, se Onyx pediu perdão, as desculpas deveriam ser aceitas. E afirmou que confia no colega.

Sergio Moro vai começar a sentir em dezembro o calor do inferno em Brasília. Ele acha que seus amigos da imprensa vão poupá-lo. Alguns irão. Mas a guerra pela informação faz com que cada um brigue pelo osso que às vezes o patrão não quer ver por perto.

Não haverá patrão capaz de segurar a briga pelos ossos em volta de Sergio Moro. O jornalismo, por mais covarde que seja, como tem sido o jornalismo brasileiro desde o golpe de agosto de 2016, é mobilizado pela batalha entre os que desejam saber mais e informar mais. É da natureza de quem lida com informação, ou o jornalismo não sobrevive.

Ninguém conseguirá segurar bons repórteres que já estão atrás dos rolos dos Bolsonaro e de seus amigos. Sergio Moro vai experimentar agora o que nunca experimentou na vida boa de Curitiba, por mais que a estrutura da Justiça venha a ser aparelhada pelo bolsonarismo.

Preparem-se para as performances do ministro. Sergio Moro vai ter de dançar com as cobras que ajudou a criar.

6 thoughts on “E AGORA, SERGIO MORO?

  1. E aí, Moisés, finalmente fica clara tua posição petista! Antes tarde do que nunca, diz o ditado!
    Falas em golpe, em 2016, bem no estilo do partido mais corrupto e mentiroso que este país já teve e colocas o juiz Sérgio moro numa posição cômoda, em QUE nunca esteve, em Curitiba. Tentas fazer dele um juiz com partido político e sem imparcialidade como, na verdade, tu e tantos outros jornalistas deveriam ser, tendo como função profissional primordial informar . Se vê, claramente, que te colocas COMO tantos petistas inconformados, revanchistas E sem qualquer autocrítica, apostando prá que tudo dê errado no novo governo, como se não fosses brasileiro, só prá depois poder dizer que não existe solução fora da incrível hipocrisia da esquerda!!! Parabéns!!!

    1. E tu é o idiota que defende os golpistas e crítica quem coloca a verdade em pauta. Qdo leio tais absurdos tenho vergonha de ser brasileira. Tenho vergonha que idolatra um juiz vil, que elege um corrupto que se passou por débil mental no exército, para receber aposentadoria… enfim sinto vergonha alheia e o que mais irrita é que não precisa ser PT para perceber o golpe e a venda de nossas riquezas… afff basta ser consciente

  2. Virgínia fedrizzi SÓ tu que não sábias que o grande Moisés e petista. Um ótimo jornalista que graças a Deus não usa venda nos olhos. Há muito leio os comentários dele que vai ao fundo da questão. Você como todo direitoso fanático não enxerga um palmo adiante do Nariz. Te liga criatura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


4 + 6 =