POR QUE TER MEDO DOS BOLSONAROS?

Um comentário é recorrente quando um texto aborda algum gesto de enfrentamento dos Bolsonaros e dos que estão no seu entorno. Dizem, por exemplo, que o Supremo perdeu o medo e agora enfrenta Bolsonaro. Como disseram hoje nos comentários sobre um vídeo em que um homem peita Carluxo num supermercado no Rio e pergunta: cadê

QUEM TEM MEDO DOS GAROTOS DE BOLSONARO?

Eles decidem tudo em família, como nas dinastias e nos governos mantidos por déspotas. Afrontam Congresso, Supremo, inimigos, ex-aliados e imprensa, mas nenhuma instituição consegue pegá-los. Os filhos do homem aparelharam o Estado, trabalham dentro do Planalto, ao lado dos generais, e continuam impunes. É o tema do meu no texto no Extra Classe, com

DELÍRIOS EM TORNO DE BOLSONARO

Circulam cada vez mais duas hipóteses que não se sustentam, baseadas nas especulações sobre um possível meio golpe e sobre a renúncia de Bolsonaro. Sem chance de impeachment por enquanto, todo mundo chuta. Se alguém acertar, leva a taça. A hipótese do golpe considera que Bolsonaro estaria apostando na radicalização, não para escapar de uma

Flávio e o miliciano

A Folha descobriu, desde o primeiro dia do crime na Bahia, o modelo de título para falar do assassinato do miliciano amigo da família das rachadinhas e dos rachadões. O nome de Flávio aparece quase sempre. Mas a Folha, cada vez mais atacada pelo bolsonarismo, ainda deve a grande reportagem sobre a execução de Adriano

Por que mataram?

Se Adriano não era perigoso nem interestadual, mas apenas um bandido carioca regional, como argumentaram os elaboradores da lista dos procurados de Sérgio Moro, por que estava sendo caçado de forma implacável na Bahia? É o meu texto no Brasil 247. https://www.brasil247.com/blog/cacaram-e-mataram-um-bandido-que-moro-nao-queria-procurar

BOLSONARO ESTÁ PEDINDO SOCORRO

O Brasil perdeu o controle da criatura. Ao avisar que, “se não estiver com a cabeça no lugar, eu alopro”, Bolsonaro fez uma advertência: saiam de perto porque pode vir coisa pior. Os eleitores brasileiros criaram Bolsonaro como a sua grande aberração. Bolsonaro é uma criação coletiva, a representação de um Brasil que dissimulava suas

CARA DE HOMOSSEXUAL E CARA DE MILICIANO

A Globo censurou no Jornal Hoje o trecho da entrevista em que Bolsonaro disse a um jornalista que ele tinha “uma cara de homossexual terrível”. A Globo encara Bolsonaro até o limite das próprias covardias. Bolsonaro achou que ofenderia o jornalista. O repórter ficaria ofendido se alguém dissesse que ele tem uma cara de miliciano