O CHAPÉU DE MORO E A PERFORMANCE DE MICHELLE

É preciso ter cuidado para falar da performance de Michelle Bolsonaro, no momento em que um grupo de religiosos comemorava a aprovação de André Mendonça para o Supremo. Os patrulheiros de plantão, inclusive nas esquerdas, podem dizer que as pessoas assombradas com aquelas estranhas falas em língua incompreensível são preconceituosas com os neopentecostais. Assim como

ANDRÉ MENDONÇA É A VITÓRIA DOS TERRIVELMENTE SIMPLÓRIOS E PERIGOSOS

Um dos grandes momentos da sabatina de André Mendonça no Senado foi quando o terrivelmente evangélico dirigiu-se a Davi Alcolumbre e reconheceu as gentilezas do inimigo preocupado até com o seu lanche. Mendonça falava e olhava para Alcolumbre com a expressão de quem pensa estar enganando a todos. Ele sabia que, se pudesse, Alcolumbre teria

MENDONÇA ESTÁ SENTADO NA BOMBA DA SEOPI

Há desfechos previsíveis para o caso dos arapongas que bisbilhotaram servidores considerados perigosos militantes antifascistas pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi). A primeira previsão é esta. A tentativa do Supremo de enquadrar a Seopi, a partir da suspeita de atividades ilegais e antidemocráticas, como observou a ministra Cármen Lúcia, pode fracassar. O ministro André Mendonça,

MORO NÃO QUIS SER ARAPONGA DE BOLSONARO

Sergio Moro escapou de várias bombas no governo Bolsonaro, ao sentir que o sujeito queria usá-lo para fazer o serviço sujo. Iriam estourar bombas na Polícia Federal e na recém descoberta Secretaria de Operações Integradas (Seopi), todas no colo de Moro. As revelações do jornalista Rubens Valente, do UOL, vão aos poucos desvendando o que

BOLSONARO, O NAZISMO E O ASSASSINO DAS UTIs

A comunidade judaica foi identificada, logo depois da eleição, como amiga do bolsonarismo. Muitos se acomodaram à vontade ao lado do sujeito que sempre teve suas atitudes associadas ao nazismo. Judeus de direita – e outros nem tanto – não tiveram nenhum constrangimento ao fazer a conexão entre Israel, o judaísmo e Bolsonaro. Todos teriam

O HOMEM DE FÉ QUE TOMOU O LUGAR DE MORO

A extrema direita quer alguém de fé no Supremo. Pois a jornalista Thais Arbex apresenta na Folha o cara que já pode ter dado o drible em Sergio Moro para assumir a vaga que Bolsonaro chegou a prometer ao ex-juiz. É o chefe da Advocacia-Geral da União, André Mendonça. É ultraconservador, bolsonarista e pastor auxiliar