TOMBA O PRIMEIRO CHEFE DE FACÇÃO

Está quase morto, a caminho do impeachment, o sujeito capaz de descer de um helicóptero com os braços erguidos, como se fosse um torcedor comemorando um gol, para festejar aos berros um assassinato. Foi o que se viu naquela cena grotesca de agosto do ano passado, depois que a polícia matou a tiros o sequestrador

A GUERRA MORTAL DAS FACÇÕES DE BOLSONARO, MORO E WITZEL

As ameaças entre Bolsonaro, Sergio Moro e Wilson Witzel já definiram o cenário e as armas para uma guerra de facções em que os três poderão tombar quase ao mesmo tempo. No meio dessa guerra, o Estadão, que agora é um jornal ‘progressista’, decidiu classificar Bolsonaro como um sujeito que se dedica a “práticas fascistas”.

OS COMPARSAS DE BOLSONARO

Enquanto atacava Bolsonaro agora há pouco, Wilson Witzel chamou o inimigo de líder e admitiu que ajudou a elegê-lo. Doria Júnior, Eduardo Leite e outros bolsonaristas dissimulados podem dizer o mesmo. Bolsonaro parte pra guerra contra os traidores, que se elegeram na sua carona e depois saltaram fora. Bolsonaro só existe como voz do fascismo

A GUERRA SUJA DAS FACÇÕES

São dois os impactos imediatos da guerra deflagrada por Bolsonaro contra os governadores, que apenas começa com a pedalada na casa de Wilson Witzel. O primeiro impacto é o mais óbvio: o governo vai dizer que a pandemia passou a fazer parte da engrenagem da corrupção. O segundo: os governadores vão gritar que são perseguidos

ORÁCULOS SIMPLÓRIOS

Vi a entrevista do juiz Marcelo Bretas a Andréia Sadi na GloboNews. Ele e Sergio Moro passam a mesma impressão de desleixo com as ideias, uma característica que parece impregnada nesse pessoal mais performático do Judiciário. O que se vê é um sujeito simplório, com reflexões um pouco rasas sobre coisas complexas. Falta a Moro,

GABIGOL NOS CONFUNDE

GABIGOL NOS CONFUNDE A cena em que Witzel é esnobado por GabiGol, ao se ajoelhar diante do atacante (e simular que vai engraxar sua chuteira, como fazem os jogadores) significa o quê? 1) Que ele não quer aproximação com um sujeito da extrema direita. 2) Que o craque o esnobou porque Witzel é ex-bolsonarista e

UMA CIDADE SOB CONTROLE DOS FASCISTAS

Uma cidade que se cala, como o Rio se calou, diante do assassinato de uma criança por milícias do próprio Estado que deveria protegê-la, é uma cidade que não pode exigir o respeito de ninguém. Se não reagir amanhã, se continuar alienado, se permanecer indiferente à matança de pobres, negros e crianças, o carioca estará