Bolsonaro, agora influencer milionário, precisa socorrer Mauro Cid e os manés do 8 de janeiro

Gleisi Hoffmann disse que Bolsonaro anda por aí, reunindo-se com seguidores em botecos e atacando Lula, porque lhe falta serviço. Mas Bolsonaro pode se dedicar ao ócio e gastar energia apenas nas desavenças com Valdemar Costa Neto. Inelegível, agora ele é influencer. O maior fenômeno do PIX dispõe do que nenhum político tem hoje no

Valdemar tocou o apito: saiam de perto de Bolsonaro

Um apito de Valdemar Costa Neto vale mil vezes mais do que um editorial rococó do Estadão em defesa de milicianos do gabinete do ódio e dos mandantes e jagunços que mataram Marielle. A mais recente apitada de Valdemar não foi para que Bolsonaro sinta ciúme de Lula. Ao colocar Lula e Bolsonaro frente a

Só a prisão de Bolsonaro salva o sistema de Justiça

Um ano novo de verdade é o que apresenta grandes novidades também na área das controvérsias. Lá por maio, 2024 poderia iniciar o debate do ano, que ficaria melhor ainda se fosse estendido até dezembro. Durante todo o 2024 o Brasil debateria não mais se Bolsonaro deve ou não ser preso, mas se deve ser

Zé do Bode está preso e não entende por que Bolsonaro ainda está solto

Se as opiniões dos especialistas em Direito ouvidos quase todos os dias pelos jornalões orientassem as decisões da Justiça no Brasil, não teríamos as provas já reunidas das ações dos fascistas contra a democracia. Se os especialistas tivessem o poder de influência que ainda imaginam ter, Bolsonaro nunca seria preso antes de uma condenação em

Estão chutando para todo lado e cutucando o ministro

Carluxo, jornalistas, milicianos, dirigentes do PL, pastores. Todos fazem parte do jogral que desafia Alexandre de Moraes a prender Bolsonaro. Porque a pergunta do momento é a que aciona a maior dúvida do Brasil: Bolsonaro pode ser preso? Carluxo, Silas Malafaia e gente boa da grande imprensa acha que não. O tom mais desafiador vai

Podem preparar o Pix para Carla Zambelli

Carla Zambelli é agora a primeira na fila do sacrifício. Será cercada no Congresso, a partir da aceitação da denúncia contra ela pelo Conselho de Ética, e por Alexandre de Moraes. E abandonada pelo PL. Não tem mais o colo de Valdemar Costa Neto nem a complacência do sistema de Justiça. A deputada é o