O COAF, OS TRAFICANTES E OS MILICIANOS

Bolsonaro conseguiu tirar o Coaf dos calcanhares do filho senador e dos milicianos e agora tenta afastar o Coaf dos interesses dos traficantes. Sergio Moro, o combatente do crime organizado (desde que não seja a milícia) assinou com Bolsonaro o decreto que retira um representante do Coaf do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (Conad).
Que ninguém se esqueça de que, antes mesmo de assumir, Moro tentou, por ordem de Bolsonaro, puxar o Coaf para seu Ministério, mas foi derrotado pelo Congresso.
Como o Coaf não pode estar sob controle do ministro preferido e mais dedicado a caçadas seletivas, como fez na Lava-Jato, que se esvazie o Coaf, com a ajuda do Supremo.
O bolsonarismo aparelhou o Estado para beneficiar todos os que até bem pouco eram considerados delinquentes. O Coaf só vai vigiar pé-rapado e quem o governo acha que deve ser vigiado. Traficantes e milicianos aplaudem.