A ESTRATÉGIA DE CARLUXO COM O TIOZÃO DO ZAP

Bolsonaro está sob pressão do centrão para que Carluxo não seja o estrategista das mídias virtuais e sociais na campanha. Em 2018, foi tudo com ele.

É uma situação exemplar dos tempos que vivemos desde muito antes da eleição de Bolsonaro. Carluxo não é especialista de nada, mas foi mais do que estrategista de mídias, foi o cara da comunicação do esquemão de em 2018.

A comunicação sempre foi uma área decisiva em qualquer setor, em empresas, governos, partidos, igrejas e campanhas.

Porque um trabalho pode ir pro brejo sem uma boa comunicação. O que a extrema direita descobriu antes de todo mundo, com a ascensão de todo tipo de fascismo com a ajuda da internet?

Que é possível estabelecer comunicação com a maioria da população com frases curtas, bobagens, memes, ataques, mentiras, difamações. Foi o que fizeram na campanha eleitoral de 2018.

A direita descobriu o que Saramago um dia previu: que a comunicação entre as pessoas, na era digital, seria por urros. E Saramago morreu antes da explosão do WhatsApp e coisas parecidas.

O especialista em marketing eleitoral, que dizem ainda existir, não teria significado algum na campanha de Bolsonaro. É só saber urrar.

Carluxo, seus amigos, mais os robôs acionados em todo o mundo e os tiozões mobilizados pelo bolsonarismo fizeram o serviço. Que especialista que nada. Basta um Carluxo e milhões de tiozinhos do zap.

Ainda tem Telegram, Twitter, Instagram, TikTok e outros assemelhados. Disparam a mensagem e, como diz a direita, cria-se e propaga-se a narrativa. É só passar adiante.

O tiozão é o mensageiro de Carluxo. Alguns, por acharem que ‘produzem’ informação, consideram-se repórteres do bolsonarismo.

Todos nós conhecemos muitos deles que têm certeza de que estão fazendo jornalismo, coisa que eles sempre desejaram na vida e finalmente conseguiram com Bolsonaro.

O tiozão se acha um repórter, mais do que uma caixa de ressonância de mentiras e besteiras espalhadas pelo gabinete do ódio.

Por suas competências, Carluxo chegou a ser cotado como porta-voz do pai, logo depois da eleição. Teríamos o primeiro especialista em WhatsApp no cargo. Com status de ministro.

Mas agora há um problema. O ministro Alexandre de Moraes, que vai presidir o Tribunal Superior Eleitoral durante a eleição, já avisou que desta vez não tem fake news.

“Se houver repetição do que foi feito em 2018, o registro (do candidato) será cassado. E as pessoas que assim fizerem irão para a cadeia por atentar contra as eleições e a democracia no Brasil”, disse Moraes quando do julgamento da ação que pedia a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão, em outubro do ano passado.

Será mesmo? É o que poderemos testar logo adiante, quando a campanha for deflagrada. Até hoje, nenhum produtor, financiador ou disseminador de fake news foi punido.

Há um inquérito sobre fake news andando de arrasto no Supremo, e a CPMI das Fake News, instalada em setembro de 2019, foi sepultada viva no Congresso.

One thought on “A ESTRATÉGIA DE CARLUXO COM O TIOZÃO DO ZAP

  1. O q o TSE fez foi dar aquela famosa passada de pano no julgamento da chapa vencedora. TSE Não vai conseguir suportar as pressões das denúncias que acontecerão aos cântaros durante a campanha e, de novo, vai empurrar de barriga e passar o pano no final. O campo progressista que se prepare para os ataques.

Deixe uma resposta para André Cipoli Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


1 + 9 =