Eles riem do quê?


coringa (2)temer (2)

A frase é do mafioso Sérgio Machado, na conversa que grampeou com o então senador Romero Jucá, no momento em que discutiam, antes do golpe, como escapar da masmorra do juiz Sérgio Moro:

– Amigo, eu preciso da sua inteligência.

Um bandido inteligente grampeia um amigo que ele espera ser ainda mais inteligente. Mas já grampeia, na dúvida, porque pode estar diante de alguém que, no sufoco, pode se transformar em um imbecil.

Machado recorreu à inteligência de tucanos e peemedebistas na tentativa de evitar o pau-de-arara de Curitiba. Mas sempre com o gravador do celular acionado, porque as inteligências dos golpistas podem falhar.

É de se perguntar então por que os golpistas riem tanto, se a inteligência não evita que comecem a cair, um a um, enredados nas armadilhas dos que andavam exatamente em busca de amigos inteligentes. O Curinga, condenado a rir sempre, tinha uma explicação:

– Como diria meu cirurgião, se tiver que morrer, morra sorrindo.

Brasília é uma terra de golpistas sorridentes. E esta outra também é do Curinga, mas não tem muita serventia por lá:

– Você pode se vingar do mal sem fazer parte dele.

Grandes bandidos e grandes golpistas estão sempre rindo e se vingando de um mal que nunca é deles.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


7 + 5 =