E SE HITLER FOSSE SOLTO

Os russos invadem Berlim e prendem Hitler no bunker, quando ele levava uma cápsula de cianureto à boca.

A prisão de criminosos de guerra, de acordo com uma nova lei, deve ser renovada a 90 dias com argumentos de quem acusa ou faz a ‘gestão’ da prisão provisória.

O Ministério Público esquece de renovar o pedido da prisão preventiva, por algum motivo, e o juiz manda soltar Hitler.

O argumento é frio, direto, categórico: juiz olha o processo, não olha a capa, não quer saber se o criminoso é esse ou aquele. Os criminosos são iguais, e a lei vale para todos.

Foi assim que um juiz mandou soltar Hitler, porque a lei assim determinava. Mas…

Não tem mas. O fato é que a Justiça cumpridora das leis soltou Hitler, que fugiu para o Brasil e morreu com 102 anos num sítio em Búzios.

Essa mesma Justiça prendeu um jovem negro, ajudante do ajudante do gavião de um traficante.

A cada 90 dias, alguém esquece de pedir que ele continue preso. Esquece porque ninguém mais se lembra do negro encarcerado em prisão preventiva, ou provisória ou temporária.

Mesmo assim, ele continua preso há três anos. Mas essa é outra história ou outro esquecimento.

_________________________________________________________________

JÁ É UMA VANTAGEM
O bom para Bolsonaro e os filhos dele é que ninguém da família está preso.

Como ninguém está preso, não precisa torcer para que alguém esqueça de renovar o pedido de prisão a cada 90 dias.

E assim também não precisa ter um bom advogado e ter de pedir libertação para o ministro Marco Aurélio.

Essa é uma família de sorte. Só o que eles precisam é renovar a cada 90 dias a amizade com o pessoal do Supremo e do centrão.

_________________________________________________________________

https://www.extraclasse.org.br/opiniao/colunistas/2020/10/precisamos-falar-sobre-os-torturadores/

One thought on “E SE HITLER FOSSE SOLTO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 3 =