Eduardo Bolsonaro, o pé frio da extrema direita

Em abril de 2019, Eduardo Bolsonaro foi à fronteira com a Venezuela para comemorar o golpe de Juan Guaidó.

Nicolas Maduro deu uma invertida no fascista, e Eduardo voltou ao Brasil como pé frio do golpismo.

Hoje, ele foi a Buenos Aires comemorar a vitória do fascistão Javier Milei no primeiro turno. O sujeito perdeu para o peronista Sergio Massa e vai abalado para o segundo turno..

Os Bolsonaros perdem em golpes aqui e lá fora,, como perderam quando da invasão do Capitólio pela turba der Trump, perdem em eleições e perdem até as joias de muambas.

A apuração até agora dá 36% para Sergio Massa. Javier Milei tem 30% e Patrícia Bullrich ficou com 24%.

O peronismo está vivo. Dia 19 de novembro tem segundo turno. É outra guerra contra o fascismo, em outras circunstâncias.

Para onde irão os votos da macrista Patrícia Bullrich?

A pergunta mais importante é esta: o peronismo poderá conversar com Patrícia, que foi abandonada por Maurício Macri, ou essa é uma aproximação impossível?

Patrícia vai se jogar automaticamente nos braços do extremista?

__________________________________________

Além da votação surpreendente de Massa, o peronismo pode comemorar a vitória espetacular de Axel Kicillof, que deve ser reeleito governador da província de Buenos Aires com 45%.

Com 86% da apuração realizada, o macrista Néstor Grindetti (Juntos por el Cambio) tinha 27% e Carolina Píparo (La Libertad Avanza, partido de Javier Milei) estava com 25%.

O fiasco foi a performance da candidata da extrema direita.

___________________________________________________________________________

Abaixo, o vídeo em que, na maior cara de pau, Eduardo defende o uso de armas em entrevista em outro país e tem a fala cortada pela TV C5N.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


7 + 9 =