Escolhas

Dá pra entender o desencanto que pode levar à abstenção, ao voto nulo ou ao voto em branco no segundo turno em Porto Alegre. É do jogo.

Mas não dá pra querer comparar Sebastião Melo com o homem que anda. Ah, dirão, mas Melo é do PMDB golpista de Temer e de Padilha.

Está na hora de esquecer que Temer representa algum projeto consistente de poder. O homem do Jaburu é apenas o síndico dos tucanos para a empreitada pré e pós-golpe.

O projeto de poder de longo prazo não é do PMDB, que lutou para derrubar Dilma e colocar Temer e Padilha onde estão. O grande projeto de poder, reforçado agora pelo resultado das eleições municipais, é do PSDB.

O eleitorado conservador tucano não brincou nessa eleição. O homem que anda absorveu quase todo o voto da classe média antiPT que seria em parte de Melo no primeiro turno. E vai pegar todo esse eleitorado no segundo turno.

Eleito o homem que anda, o PSDB estará a um passo do governo do Estado. E o PSDB terá aqui uma vitrine nacional do grande projeto para a presidência.

O PMDB não tem nenhum, mas nenhum mesmo candidato a presidente. O PSDB tem pelo menos quatro. Por isso o golpe foi dado pelos tucanos, com o PMDB como laranja serviçal da direita.

O homem que anda também não pode ser comparado a Melo por outras questões pessoais que todos conhecem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 7 =