O cerco sem fim

Luiz Carlos Cancellier de Olivo, o reitor afastado da Universidade Federal de Santa Catarina, decidiu se matar porque devia saber que, por mais inocente que fosse, não conseguiria escapar.
Alguns alvos do Ministério Público e do Judiciário brasileiro não conseguirão escapar nunca. Se um processo falhar, outros serão abertos. E outros e mais outros. A tática consagrada contra Lula ainda será usada contra muitos. O reitor já havia sido condenado antes do julgamento. Gente importante e gente comum enfrentarão a mesma situação.
Enquanto isso, Aécio, a irmã de Aécio, Padilha, Moreira Franco, Serra, o jaburu, o Quadrilhão, a gangue do metrô paulista e os 300 corruptos do Congresso (entre os quais os autoproclamados estupradores) continuarão escapando. Mesmo com provas. Tudo porque o Judiciário não ‘consegue’ a ajuda do Ministério Público Federal para formar convicções e pegar a direita.
Golpistas que falam em ‘intervenção militar’ não sabem de nada, são apenas saudosistas românticos. O golpe precisa apenas do Quadrilhão do jaburu, dos 300 picaretas, da imprensa, do pato da Fiesp e principalmente do Judiciário.
O Judiciário, em suas mais baixas e em suas mais altas cortes, é o grande lastro do golpe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


7 + 3 =