O PODER DE QUEIROZ

O áudio em que Queiroz ressurge como participante da partilha de cargos dos Bolsonaros em Brasília é um deboche largado no colo do Ministério Público, do Supremo e de todo Brasil alienado e acovardado.
“Tem mais de 500 cargos lá, cara, na Câmara e no Senado. 20 continho caía bem”, diz o chefe dos laranjas dos Bolsonaros.
Não interessa se ele está blefando. O blefe também é um deboche. O que o miliciano diz é que ele sabia de tudo no Rio e agora sabe como as coisas funcionam em Brasília.
Queiroz pode aparecer amanhã dizendo que ele é quem chefia a distribuição de cargos nos gabinetes do pai e dos filhos, e não acontecerá nada.
Queiroz tem o controle da situação e da família. Os Bolsonaros brigam com aliados, com generais, com a China, com a Argentina, mas não brigam com Queiroz.
Em qualquer democracia séria, polícia, Ministério Público e Judiciário seguiriam os passos, o dinheiro, os laranjas e os empréstimos de Queiroz para chegar aos donos do poder.
O Ministério Público do Rio bem que tentou, mas foi amordaçado pelo Supremo. Queiroz é mais temido pelos Bolsonaros do que os generais dissidentes.
Os generais mandados embora nem tropas têm mais. Queiroz tem as milícias e conhece tudo o que os Bolsonaros fizeram nas últimas décadas.
Queiroz vale muito mais do que vinte continhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


4 + 9 =