DONA CÉLIA

Eu poderia escolher mais de 10 datas comemorativas para falar da senhora desta foto. Poderia falar dela no dia do livro. No dia da arte. No dia da elegância, da amizade, do conhecimento, da ciência, do professor. E em todas as datas consagradas à mulher.

Prefiro falar de dona Célia Damasio Pacheco no 28 de abril, o Dia da Sogra. Dona Célia derruba qualquer tese sobre sogras. Eu gosto dos sábados, porque são os dias do almoço na casa dela, de emendar um assunto no outro, falar de cinema, literatura e futebol e de transformar o banal em conversa boa e engraçada.

Dona Célia foi professora. Tem uma biblioteca com todos os livros de todas as áreas catalogados. Frequenta cursos de História (o professor Marshall, do Studio Clio, sabe bem) como se estivesse sempre em formação, e está.

Adora cinema. Lê até três livros por mês. Nesta foto, ela está onde mais gosta, uma livraria de Buenos Aires. Tudo na casa dela tem relação com a literatura.

Ela viaja. Navega pela internet. Ama o Grêmio. E enfeita-se, porque é uma das mulheres mais elegantes que conheço.

Esta é a mãe da Virgínia. Nem preciso dizer que hoje ela é também minha mãe, porque basta que seja, com todas as suas virtudes, a minha bela sogra.

Viva o Dia da Sogra. Dona Célia qualifica o 28 de abril, enquanto eu tento ser um genro esforçado.

Os 200 anos de Marx

Livramento e Rivera terão um evento grandioso para marcar os 200 anos do nascimento de Karl Marx. Será um seminário com atividades artísticas, culturais, painéis, aula pública e cine-debate sobre a obra e a vida do alemão, a partir de 28 de abril e até 5 de maio. Sem Marx, não há como entender o mundo

DIA 28/04/2018:
ABERTURA: Pela comissão organizativa (Por que celebrar os 200 anos de Karl Marx na Fronteira?)
HORA: 19h
Local: IFSul
——————-
Palestra: “Mujeres a la izquierda. Ausencias y deformaciones en la historia del marxismo”
Palestrantes: Marier Frigerio, Patricia López Bélgica Martinez, Líber Romero
Debatedora: Silvia Carambula
Hora: 19h e 30 min
Local: IFSul
——————
Entre a palestra e o momento das perguntas do Público:
Taller Teatro Independiente – Riveramento. Poema a Marielle Franco: “Eu sei eu tive lá”

=============================================

DIA 29/04/18

Rueda de charla con militantes jóvenes

Tema: Marx vive

Hora: 15 horas

Local: Escaleras de calle Artigas

=============================================

DIA 30/04/2018:

Aula Pública: A chacina dos Comunistas no Parque Internacional
Palestrante: Oneider Vargas de Souza
Hora: 10 h
Local: Parque Internacional
——-
Palestra: Marx y ambiente
Palestrantes: Gabriel Delacoste e Adão Villaverde

Debatedor: José Luis Protti
Hora: 19 h
Local:  SUTAM-FUS: Sindicato Unico de Trabajadores de Asistencial Médica. Dirección Joaquin Suarez, 767, entre Rodó y Florencio Sanchez.

=============================================

DIA 01/05/2018:
Dia do trabalhador e da trabalhadora.
Evento Binacional.
Praça da Cuaró. Rivera.
Hora: Das 13h até às 18 h

Divulgação: Manuella Ibargoyen

Reflexão sobre os 200 anos de Marx e o Dia do/a Trabalhador/a: Nestor Chumbo Chaves

===============================================

DIA 02/05/2018:
Palestra: Origenes del movimiento obrero en la frontera.
Palestrante: Selva Chirico
Debatedor: Oneider Vargas
Coordenador: Pedro Luiz Coelho Araújo
Hora: 10 h
Local: IFSul

———–

Marx en la puerta de fábrica: charla con trabajadores

Hora: 13h e 30 min

Local: Puerta de URUFOR

Promueve: Instituto Cuesta Duarte – PIT –CNT

————-

Cine-debate: “Conversas com Perseverando”
Local: IFSul
Hora: 16 h
Debatedores: Dagberto Reis
————-
Palestrantes/Temas
Jaime Secco: Marx e a filosofia alemã
Carlos Héguy: O filósofo Karl Marx e a sua filosofia
Debatedora: Cristina Rodriguez Cartagena
Hora: 19h
Local: IFSul

============================

DIA 03/05/2018:
Painel sobre a Conjuntura Latinoamericana
Local: IFSul.
Hora: 14 h
Painelistas: Carolina Vergara(SINASEFE-IFSul), João Bourscheid (CPERS- Pelotas), Luís Cláudio Nobre Quevedo (PT – Santana do Livramento), Enrique Robert da Rosa Nuñez (Frente Amplio), Tiago Sotilli (MST).
————–
Palestra: A pedagogia marxista
Palestrante: Eliezer Pacheco
Debatedor: Eliézer dos Santos Oliveira
Coordenadora: Leniza Vieira Coelho
Hora: 19 h
Local: IFSul

=============================================

DIA 04/05/2018:
Oficina sobre o Teatro do Oprimido
Local: Parque Internacional
Hora: Das 17 horas até às 18 h e 30 min
Oficinista: Mauri Movimiento
——-
Palestra: Marx y la necessidad de la revolución
Palestrante: Juan Bernassa
Debatedora: Magali Ivañez
Hora: 19 h
Local: IFSul
————

Peña (reunião política, música, comes e bebes)
Local: Departamental del Partido Comunista de Rivera
Hora: 21 horas

==========================================
DIA 05/05/2018:
Mateada, varal de poesias e:

* Espetáculo Musical
Artistas locais: Carolina Cáceres, Leonardo Soares e David Benavídez.
Local: Parque Internacional
Hora: 15 h

* Intervenção artística coletiva
Local: Parque Internacional
Hora: 16 h

* Charla Filosófica: Histórias de vida e luta política
Memórias da época da Ditadura Militar
Charlantes: Presos e perseguidos políticos
Local: Parque Internacional
Hora: 17 h
– Fechamento (Feita de forma coletiva, pela Comissão)

Leitura da Carta Aberta

Candombe

 

Imitadores

Tem juiz se achando Sergio Moro. Tem procurador certo de que é um Dallagnol. Tem radialista que só imita o Datena. E tem jornalista que deseja ser o William Waack.
O Brasil virou o país dos imitadores dos ‘artistas’ da direita. Tem gente com curso superior, bom emprego e boa casa imitando o Bolsonaro.
Nunca o reacionarismo foi tão imitado como agora. E os imitadores de aberrações estão preocupados com o gordinho da Coreia.

O roto e o esfarrapado

No país governado por uma quadrilha, denunciada formalmente pelo Ministério Público, todo mundo agora é especializado em Coreias e debocha do show diplomático do gordinho que deu um nó em Trump.
Entre o gordinho e o jaburu-da-mala, serei sempre o gordinho. Pelo menos não é um ditador dissimulado num regime de exceção que se vende como democracia.
O gordinho sabe que é um ditador. O jaburu é uma fraude sustentada pelo pato, pela imprensa e por parte do Judiciário.
Era só o que faltava um país governado por uma quadrilha, depois de um golpe, querer dar lições de democracia aos coreanos, enquanto uma maioria adormece na resignação. Menos.
A Coreia é aqui. O Judiciário sabe.

A GLOBO ESTÁ FORA

A pergunta do dia é esta: por que a Polícia Federal aceitou levar adiante o acordo de delação de Palocci, antes esnobado pelo Ministério Público?
Uma resposta possível: Palocci não tinha, como o MP pensava, novas munições contra Lula e Dilma. Mas a PF não quer saber se ele tem pouco ou muito a dar para atingir os ex-presidentes.
Tem outra suspeita, a partir de uma informação que está solta hoje na coluna de Mônica Bergamo na Folha. Ao tentar primeiro o acordo com os procuradores, Palocci disparou contra Lula, contra os bancos e contra a área de comunicação (leia-se a Globo).
O MP não queria saber de bancos e Globo, mas de continuar atacando Lula. Com a PF, o acordo é outro. A colunista informa que, além de Lula e Dilma, sobraram apenas os bancos na delação. Esses seriam os alvos de Palocci. A Globo saiu da lista.
Alguém deve saber porque o sujeito recuou. Palocci pode ter descoberto que, se atirasse contra a Globo, nunca mais sairia da cadeia.

A OAB e as Coreias

Um amigo advogado, que não é de esquerda, mas também não é ingênuo, me liga para dizer o seguinte. Hoje, só se conhece a posição categórica e pública da OAB sobre qualquer assunto no Jornal Nacional, quando o presidente da Ordem faz algum discurso ao lado de uma sabambaia.
Não sou advogado e não entro no site da OAB. Mas eu também fico esperando que o presidente da Ordem apareça no Jornal Nacional para saber o que ele pensa de alguma coisa.
Ele pode aparecer hoje opinando sobre a reaproximação entre as Coreias. A OAB opina sobre tudo o que não interessa, me disse esse advogado.

O RECADO DO JABURU

Há um detalhe curioso no discurso de hoje do jaburu, em que ele ataca a Polícia Federal e o Ministério Público. É quando diz que não sabe quando deixará a presidência.
A primeira hipótese para a frase é esta. Ele acha que pode ser derrubado antes de completar o mandato, em dezembro.
A segunda: acha que pode se reeleger, com 2% de preferência nas pesquisas, 13 milhões de desempregados nas costas, dois inquéritos sobre o Quadrilhão e às vésperas da terceira denúncia por chefiar uma gangue.
Ou finalmente ele quis dizer que, dependendo do que está sendo tramado, pode querer permanecer no poder, no caso de não termos eleição para presidente.
O que sobra da conversa é que o homem desafiou todo mundo. É forte candidato a ser comido a qualquer momento.
Eis o trecho do discurso com a mensagem cifrada com o “não sei quando”:
“Mas eu sei, meus amigos, minhas amigas, eu sei me defender, especialmente defender a minha família, os meus filhos, porque eu não posso sair daqui da Presidência, não sei quando, para carregar essa pecha irresponsável que tentam imputar-me a todo momento, porque as pessoas de má fé estão manipulando informações, fazendo ilações sem nenhuma prova documental e usando a imprensa para seus propósitos de atingir a minha honra. Os investigadores ainda vão tentar rastrear a origem dos recursos para a compra dos imóveis”.

Espera

As gaivotas continuam aguardando notícias dos jornalistas náufragos do Cais Mauá. Muito jornalistas fofos embarcaram no iate da revitalização a qualquer custo e sumiram quando da Operação Gatekeepers da Polícia Federal. As gaivotas estão preocupadas.