A TESE FURADA QUE SÓ BENEFICIA BOLSONARO E HELENO

Um dos textos que mais circulam desde ontem nas redes sociais, em sites e blogs parece ter sido escrito pela defesa de Bolsonaro. É o artigo com uma tese furada de Reinaldo Azevedo.

O ex-lavajatista defendeu em artigo na Folha que a estrutura usada para a produção do relatório em favor de Flávio Bolsonaro é uma Abin clandestina dentro da Abin.

Ora, a tese, que já se esparramou, é tudo o que Bolsonaro, Augusto Heleno e a própria Abin querem ler. Se a estrutura é de uma Abin clandestina, os chefes podem dizer que não sabiam de nada e não têm envolvimento com os crimes.

O que está claro, com a participação de Augusto Heleno na reunião de agosto, que tratou do caso dentro do Planalto, ao lado de Augusto Ramagem, da Abin, é que a estrutura é a oficial, com comando oficial.

Os operadores do esquema podem ser parte de um grupo que age para proteger os Bolsonaros, mas acionado pelas chefias. O que Reinaldo tenta dizer é que se imagina que, como regra, os servidores da área de inteligência prestem serviços ao Estado, e não à família.

Afirmar, a partir daí, na tentativa de defender esses servidores republicanos, que a estrutura é clandestina só ajuda a absolver todos os envolvidos no esquema de Bolsonaro para montar a proteção ao filho e a maracutaia do relatório.

Clandestina em relação a quem e a o quê? Como clandestina, se os chefes da área participaram de um encontro com os advogados de Flávio? O esquema pró-Flávio, que é também pró-Bolsonaro e toda a família, não é um braço orgânico da Abin, sob o controle dos comandos?

Reinaldo Azevedo foi ingênuo, no esforço para produzir um texto com uma ideia que ele possa ter achado original e com um pretenso furo jornalístico. Ofereceu subsídios que Bolsonaro e o general queriam ler.

O que deve ser investigado é a estrutura oficial da Abin, a partir dos seus comandos, para que se descubram as engrenagens do mecanismo pró-Flávio. Não agir assim é acreditar que existe um grupo autônomo dentro da Abin.

O único que não se beneficia da tese de Reinaldo é Flávio, que pode ser acusado de ter formado um grupo de arapongas dentro da estrutura de Estado.

Os outros todos podem dizer que foram traídos. E que a reunião de agosto de Bolsonaro, Heleno e Ramagem com os advogados de Flávio foi para tratar da vacinação contra a Covid-19.

(A charge abaixo, do Aroeira, no site dos Jornalistas pela Democracia, é o retrato do que Reinaldo não quis ver.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


6 + 7 =