AS CHINELAGENS DA ARAPONGAGEM

Cresce a pressão na Argentina, entre juristas e imprensa, para que Mauricio Macri conte o que sabe da estrutura de espionagem ilegal que manteve durante seu governo, com ordens emitidas de dentro da Casa Rosada. Mas vai contar o quê? Na Colômbia, o governo de outro direitista, Iván Duque, mantinha (e talvez ainda mantenha) um

ARAPONGAS TABAJARAS

Foi divertido ver Gilmar Mendes chamando os arapongas de Bolsonaro de Organização Tabajara. E a decepção fica de novo com Marco Aurélio, sempre surpreendendo, agora ao votar pela manutenção da arapongagem sem restrições. O dossiê contra servidores públicos antifascistas, condenado hoje por nove de 10 ministros do Supremo, não é trabalho de inteligência. O dossiê

OS ‘SOMBRAS’ DE MACRI E BOLSONARO

Os argentinos já sabem quem era o servidor que fazia a ponte entre Mauricio Macri e os seus arapongas encarregados de perseguir adversários políticos. Era Dario Nieto, secretário particular de Macri, o Sombra, ao seu lado na foto. Esta semana, os promotores Cecilia Incardona e Santiago Eyerhabide pediram ao juiz federal Juan Pablo Auge que

CONGRESSO PODE SABER O QUE OS ARAPONGAS DE BOLSONARO ANDAM FAZENDO

Se olharmos com atenção para as investigações que acontecem agora na Argentina, teremos alguns sinais de semelhanças – que não ocorrem por acaso – com as atuais suspeitas de ilegalidades no Brasil na área da arapongagem. Autoridades argentinas andam atrás de um personagem do esquema clandestino de espionagem montado por Maurício Macri, para que conte