COMO SERÁ O NOVO NORMAL DE BOLSONARO COM VERMÍFUGO

Encerra-se nesta segunda-feira, depois de duas semanas, a clausura de Bolsonaro como infectado pela Covid-19. Amanhã, ele pode voltar ao normal, ou não.

Se voltar ao normal, Bolsonaro terá de retornar ao cercado do Alvorada, não como personagem passivo, como foi ontem, mas como o sujeito impositivo, gritão e autoritário. É o que a claque do cercado espera dele.

Bolsonaro deve mandar recados ao Supremo de que agora vai mesmo chutar o pau da barraca. Se voltar ao cercado para fazer número com caixinha de cloroquina, não será Bolsonaro.

Se não tiver se encolhido ainda mais durante o tempo de recolhimento, quando sentiu que se fechava o cerco em torno dos filhos, Bolsonaro terá de encarar o STF como vinha encarando.

Deve se comportar como quando mandava emissários para falar com Alexandre de Moraes para pedir trégua e, ao mesmo tempo, gritava alto e ameaçava o STF.

Bolsonaro deve voltar amanhã e arranjar um jeito de blefar com o golpe. O Bolsonaro normal deve fazer referência de novo, em algum momento, ao artigo 142 da Constituição e defender o poder moderador das Forças Armadas.

Deve ainda programar já um sobrevoo de helicóptero (de preferência na aeronave de guerra, com camuflagem) na Esplanada dos Ministérios sobre as cabeças dos manifestantes fascistas que defendem o fechamento do Supremo e a volta ditadura.

Se for o Bolsonaro normal, terá de reaparecer ali com algum ministro militar, como fez várias vezes. Deve sobrevoar a região, descer, abraçar e apertar as mãos dos golpistas. Sem máscara.

O Bolsonaro em plena normalidade terá de voltar atacando prefeitos e governadores pela gestão das medidas restritivas contra a pandemia.

Se a Covid-19 não mudou sua postura agressiva, Bolsonaro precisa agredir a imprensa, principalmente a Globo e a Folha.

Que Bolsonaro não apareça com a conversa mole do vermífugo. Ninguém, nem o bolsonarismo e muito menos seus adversários, têm o menor interesse num Bolsonaro cordial.

O novo normal de Bolsonaro não pode nos privar de vê-lo defendendo os garotos, as fake news, as armas, as milícias, o amigo Queiroz, os desmatadores da Amazônia, os grileiros.

Que não se encolha ainda mais. Já na terça-feira, Bolsonaro precisa mostrar que está curado do acovardamento que o infectou depois da prisão de Queiroz.

______________________________________________________________


O humor de The Caverá Times
_____________________________________________________________


BOULOS E ERUNDINA

Quando Luiza Erundina foi eleita prefeita de São Paulo pelo PT, em 1988, Guilherme Boulos tinha seis anos.
Hoje, Boulos foi escolhido o canditado do PSOL a prefeito da capital, com Erundina de vice.
É muito bonito. Enfim uma notícia boa.

3 thoughts on “COMO SERÁ O NOVO NORMAL DE BOLSONARO COM VERMÍFUGO

  1. A chapa é bem promissora, do agrado dos ferrenhos progressistas. Esperemos que não precisem pedir Apoios condenáveis, como aconteceu num passado recente.

    Vencer o projeto de poder do psdb para o estado de São Paulo não é tarefa simples. A esquerda precisa inovar seu discurso para recuperar seu eleitorado paulistano. Para isso acontecer, NÃO há espaço para bate-bocas: @s munícipes precisam sim de soluções para suas hemorragias sociais, principalmente a população das periferias, esquecida pela esquerda.

  2. Uma pena Boulos se candidatar a Prefeitura de São Paulo.

    Por que isso? Que opções nos restará? O sonso do Haddad? O Lula? Se é tudo que o PT tem a oferecer, fiquem com eles.

    Eu votaria até em Freixo para Presidente ou em Boulos, mas não nos demais. Chega, não aguento mais a mesma raça de sempre seja direita, centro ou esquerda, embora no fim, todos dancem conforme a música dos que estão por trás deles.

    Só uma guerra mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


3 + 9 =