Folha faz média com militares e sugere aceitação de um bolsonarismo sem violência

Trecho de editorial da Folha sobre a volta de Bolsonaro:

“O bolsonarismo até poderia, se abandonasse a violência e o autoritarismo, liderar uma oposição saudável ao PT”.

É mais uma frase usada pelo jornal para afrontar a democracia e os que resistiram contra as tentativas recentes de golpe. É uma afronta ao TSE.

A Folha tenta, com o apoio a Bolsonaro, tirar do bolsonarismo a sua essência.

A própria Folha poderia publicar uma frase equivalente, na mesma linha:

“O nazismo até poderia, se não fosse o que é, ser uma alternativa política saudável para o mundo todo”.

A frase do editorial da Folha é para ficar na história das barbaridades publicadas pelo jornal, e no dia do aniversário do golpe.

A índole do bolsonarismo é a violência e o autoritarismo, expressos no armamentismo, no militarismo ameaçador, no incentivo ao ódio, na discriminação e na perseguição a negros, a religiões afro-brasileiras e a LGBTIQI+, no massacre de indígenas.

No 31 de março, a Folha faz média com os militares ao sugerir que o bolsonarismo pode existir sem ser o que é. O fascismo sempre recorreu a esses truques.

2 thoughts on “Folha faz média com militares e sugere aceitação de um bolsonarismo sem violência

  1. E tem ainda o mourao dizendo
    Que o golpe ajudou a democracia brasileira. Teremos
    Que aguentar 8 anos este traste
    Verde oliva falar merda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 5 =