LEWANDOWSKI PÕE PAZUELLO NA ARAPUCA

Se ficou ruim a situação do general medroso, ficou terrível a situação de Bolsonaro.

O ministro Ricardo Lewandowski permitiu em despacho que Eduardo Pazuello se cale sobre suas ações no Ministério da Saúde que possam incriminá-lo, no depoimento do dia 19 na CPI.

Mas não pode ficar calado sobre terceiros, ou seja, não poderá sonegar informações sobre atitudes de Bolsonaro e de outras pessoas.

Resumindo, se é que precisa. Pazuello poderá salvar a própria pele, mas talvez não consiga salvar Bolsonaro.

Dito de outra forma: para tentar se safar, Pazuello terá de incriminar o chefão. Um sujeito limitado conseguirá separar seus atos dos atos de quem o mantinha sob controle?

Em síntese, esse é o despacho:
“Concedo, em parte, a ordem de habeas corpus para que, não obstante a compulsoriedade de comparecimento do paciente à CPI sobre a Pandemia da Covid-19, na qualidade de testemunha, seja a ele [Pazuello]​ assegurado o direito ao silêncio, isto é, de não responder a perguntas que possam, por qualquer forma, incriminá-lo, sendo-lhe, contudo, vedado faltar com a verdade relativamente a todos os demais questionamentos não abrigados nesta cláusula”.

Bolsonaro que se prepare. Pazuello vai poder dizer na CPI o que já disse ao lado do chefe: Bolsonaro mandava e ele obedecia.

One thought on “LEWANDOWSKI PÕE PAZUELLO NA ARAPUCA

  1. O problema pro general covarde é que tudo o q disser na cpi vai comprometê-lo. Se fugir da mira dos senadores não respondendo questões envolvendo seu ex-chefe, entra na dos bolsonaristas, caso Comprometa seriamente o despresidente. Não há saída para ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


7 + 1 =