O GENERAL COM MEDO

Bolsonaro submete os generais às suas ordens, mesmo que sejam absurdas e humilhantes.

Mesmo sob um comando tão autoritário, um general não poderia admitir ao lado de colegas de ministério que tomou a vacina contra a Covid escondido, só para não contrariar Bolsonaro.

Foi o que disse o general e ministro Luiz Eduardo Ramos, da Casa Civil, em reunião do Conselho de Saúde Suplementar.

Ramos não sabia que sua fala estava sendo gravada e que depois seria vazada para a imprensa. Seria constrangedor para qualquer um. É mais ainda para um general.

Os generais temem o tenente Bolsonaro e agem às escondidas para evitar retaliações.

Bolsonaro já expulsou mais de uma dúzia de generais do governo.

Esta foi a confissão do general, como se fosse um estudante contando uma arte aos coleguinhas:

“Tomei, foi em Brasília, ali no Shopping Iguatemi. Tomei escondido porque a orientação era para todo mundo ir para casa, mas vazou. Mas tomei mesmo, não tenho vergonha não. Eu tomei e vou ser sincero porque eu, como qualquer ser humano, eu quero viver. Eu tenho dois netos maravilhosos, eu tenho uma mulher linda, eu tenho sonhos ainda. Então, eu quero viver, pô. E se a ciência, a medicina, fala que é a vacina,né Guedes?, quem sou eu para me contrapor? Estou envolvido pessoalmente, tentando convencer o nosso presidente. Nós não podemos perder o presidente para um vírus. A vida dele, no momento, corre risco, ele tem 65 anos”.

5 thoughts on “O GENERAL COM MEDO

  1. Pobre do país que tem generais acovardados que se submetem a um reles capitão com passado militar cheio de manchas. Se estes são os generais que temos, talvez seja melhor colocar recrutas no comando. O recruta Zero seria uma excelente opção, pena que é americano, mas iria melhorar muito o nível. O sargento Garcia também seria ótima opção…

  2. O medo do general e perder o gordo acrescimo do salario no fim do MES.A subserviencia a um capitao expulso do exercito por mau comportamento,deveria envergonhar generais dignos,mas….

  3. É o tipinho de militar que é o primeiro a fugir da frente de batalha quando a situação aperta. Fico curioso para saber que espécie de discurso os tipos pazuellos e ramos da vida fazem nas formaturas daqueles que, um dia, serão seus Subordinados.

  4. Nossa sorte é não haver risco de um conflito militar internacional com o Brasil envolvido. Seria fácil imaginar a performance com um Pazzuelo e um Ramos no comando. A Escola Militar de Agulhas Negras necessita com urgência revisar seus conteúdos e métodos. O que saiu de lá nos últimos anos a recomenda tanto quanto uma escola pública de periferia. Esse pessoal está embriagado com o poder, se refestelando com as facilidades e mordomias a que não tinham acesso nos quartéis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 5 =