OS JORNALÕES SESTEAVAM ENQUANTO O TERROR INVADIA BRASÍLIA

O jornalismo da grande imprensa continua batendo no governo, em especial na área de inteligência, por não ter evitado os ataques de domingo em Brasília.

Mas todos os grandes jornais e TVs, com raras exceções (a Record foi uma delas), dormiram durante horas até perceberem o que estava acontecendo. Falhou a inteligência do jornalismo das corporações.

A Globo passava um filminho à tarde e demorou quase três horas até decidir que a cobertura deveria ser feita ao vivo, socorrendo-se da transmissão da GloboNews.

A mídia chamada alternativa também subestimou a invasão anunciada e alguns veículos chegaram a informar, domingo pela manhã, que a mobilização havia sido um fracasso.

A Record surpreendeu e ofereceu, no começo (depois não vi mais), uma cobertura que todas as outras emissoras da TV aberta sonegavam. Com sobriedade e informação ao vivo, mesmo que precária.

Globo, Folha e Estadão sabem que o terrorismo é a sequência do que foi criado a partir de 2016 com o golpe contra Dilma e, depois, com a caçada a Lula pelo lavajatismo.

Globo, Folha e Estadão ajudaram a criar o clima que levou aos atos terroristas de domingo.

2 thoughts on “OS JORNALÕES SESTEAVAM ENQUANTO O TERROR INVADIA BRASÍLIA

  1. “alguns veículos chegaram a informar, domingo pela manhã, que a mobilização havia sido um fracasso”.
    Fiquei triste ao ver o 247 caindo nessa esparrela e ainda fazendo chacota da tal mobilização com cerca de quatro mil pessoas, porque o esperado era acima 1 milhão.
    Vivendo e aprendendo! Jornalismo sério, como o do 247, não pode ficar à mercê de aparências iniciais, ainda mais tendo conhecimento da cumplicidade militar.

  2. Pois estao novamente. Um governador da federacao colocou advogados a defenderm
    Terroristas que depredaram a
    Sede da federacao.
    Pode isso arnaldo..?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


2 + 6 =