QUANDO EXALTAR A TORTURA NÃO BASTA

Regina Duarte deixa o comando da Cultura, mas vai ser feliz na chefia da Cinemateca Brasileira. Se não der certo lá, irá para o comando de alguma área qualquer, desde que fique no governo, porque Regina não tem para onde voltar.

Regina Duarte é a derrota das nossas ilusões com uma figura que a arte engajada nos ofereceu durante a ditadura. Mas fracassou como a cara da nova mulher do final do século 20 e fracassa agora com a sua outra face de extremista de direita.

Não há nem o consolo de que Regina caiu porque se negou a fazer o que pediram, por exemplo, a Nelson Teich no Ministério da Saúde.

Regina é pior do que Nelson Teich, que se negou a engolir a cloroquina e a combater o isolamento social. Teich se negou a ser um bolsonarista.

Regina tentou ser bolsonarista, foi à TV e até cantou a musiquinha da ditadura ao falar com naturalidade da tortura. Ficou bem com os militares e ganhou elogios do general Eduardo Villas Bôas.

Mas isso não é suficiente para que alguém se mantenha hoje no poder. Não basta ser de extrema direita e militarista, é preciso ser bolsonarista. Regina se esforçou, mas não teve talento para ser uma bolsonarista diplomada.

O ser bolsonarista está degraus acima do é que básico para um extremista de direita,

Por isso sua declaração de amor aos ditadores foi insuficiente para mantê-la no cargo. Foi o que aconteceu com Sergio Moro.

O ex-juiz aderiu à tese de que um policial pode atirar para matar, defendeu as posições extremistas de Bolsonaro, mas não chegou a ser um bolsonarista.

Moro é um ex-juiz justiceiro, com apego a arbitrariedades e grandes serviços prestados à direita, mas não completou a formação de bolsonarista.

A um bolsonarista não basta elogiar torturadores, é preciso citar o maior deles, é preciso gritar o nome de Brilhante Ustra, como Bolsonaro e os filhos fazem impunemente. Regina não chegou lá.

Um bolsonarista cobra fidelidade a tudo que cultuam de mais repulsivo, e não só às ideias genéricas que qualquer direitista pode defender.

Tanto que Janaína Paschoal, Kim Kataguiri, Alexandre Frota e tantos outros não conseguiram ser bolsonaristas autênticos. Todos são da extrema direita, mas não bolsonaristas. Bolsonaro expulsou do governo seis generais que não foram considerados da sua turma.

Regina Duarte só não sai totalmente do governo porque se transformou numa coitada rejeitada pelos colegas, rejeitada pelos filhos de Bolsonaro, rejeitada pelos seguidores de Olavo de Carvalho.

Regina Duarte vai para um puxado e fica lá num purgatório do bolsonarismo à espera da salvação da sua alma.

2 thoughts on “QUANDO EXALTAR A TORTURA NÃO BASTA

  1. Bom, se ela vai para a cinemateca como dizem, podem se preparar para a destruição disso.

    Bolsonaro é um “machista” “assumido” ou seja ele não possui o mínimo de auto censura como um sociopata qualquer e eu cansei de dizer em outros lugares, até no extra, que machista nenhum coloca mulher em posição de poder se algo muito podre não estiver rolando por trás.

    Foi o caso por exemplo de Collor que desde o início já premeditava o confisco das contas, a mando dos que estavam por trás dele.

    Além de ter sido ele, com um vice militar (Itamar) quem implantou a ideia das privatizações. É o caso de Damares e Teresa Cristina. Só esse ano já foram liberados quase 200 agrotóxicos à mais. Está por volta de 700 e os danos virão a longo prazo.

    Machista NUNCA coloca mulher em posição de poder se não houver algo muito feio acontecendo por trás e é a otária quem fica com a carga de ódio da população e tem que sair do País como a Zélia.

  2. À propósito, se tem gente da esquerda exaltando Teich por ter saído, quando na verdade só estava tirando o dele da reta já que ELE SABE que a Cloquina pode matar, SÓ prova o que eu já disse da esquerda: que não é muito diferente dessa extrema direita.

    Eu tenho um amigo há uns 20 anos. Ele é sueco e vive na Suécia e hoje ele me enviou um link que confirma o que eu já disse sobre tratar as consequências e não o vírus (já que o vírus é eliminado naturalmente pelo corpo), portanto, o uso da Cloroquina, a Hidroxicloruina, o Remdesivir precisam ser explicados e a má fé por trás disso também.

    A reportagem é de uma jornalista investigativa que afirma que um grupo de Patologistas Italianos “descobriram” (cínicos) Que tanto o uso dos ventiladores pulmonares quanto o de medicamentos “extras” são não só desnecessários como provavelmente responsáveis por mortes. Ela não fala da cloroquina ou Remdesivir, ou por medo ou seja pelo que for, mas fica claro que se refere a isso.

    Esses Patologistas (cínicos porque eles JÁ sabiam isso), disseram que HOUVE UM ERRO de diagnóstico ou análise, porque na verdade o Covid não causa pneumonia, mas trombose cardíaca (coagula o sangue), uma inflamação que sem o uso da Cloroquina, pode ser resolvida. A Cloroquina obviamente agrava a situação.

    Eles sabiam que a cloroquina causava ARRITMIAS CARDÍACAS, de qualquer forma. Não tem desculpa, tem?

    Cinicamente, agora os hospitais da Itália, depois de terem matado um monte de gente, estão tratando as consequencias daquilo que o vírus reativa. Ou seja, estão dando antibióticos, anti inflamatórios e anti coagulante SEM A CLOROQUINA OU OUTRO REMÉDIO “MÁGICO”, e o número de mortes diminuiu.

    Novamente, tanto na Itália como no Brasil, ninguém será investigado, corpos não serão EXUMADOS e médicos e governo não serão punidos pelos homicídios que porventura tenha surgido disso tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


1 + 2 =