O Datafolha desempatou o jogo com a pesquisa de hoje em que 76% aprovam o isolamento social defendido pelo ministro Luiz Henrique Mandetta. Só 18% acham que o isolamento deve acabar. Esta é a posição de Bolsonaro.

No domingo, Bolsonaro havia sido favorecido pela pesquisa em que 59% diziam que ele não deve renunciar.

Mas na sexta-feira o Datafolha havia assegurado os mesmos 76% de apoio à performance do Ministério da Saúde na guerra contra a pandemia. E Bolsonaro aparecia com aprovação de 33%.

O placar é de 2 X 1 para Mandetta. As pesquisas mostram a confusão na cabeça do brasileiro. Nada é mais importante hoje do que combater a pandemia. Mas as pessoas não querem a renúncia do homem que não quer combater a peste com determinação.

O dado mais relevante é outro, é o que qualifica o gol de Bolsonaro na pesquisa de domingo. É o que mostra que para 52% ele tem condições de continuar governando. Esse é o dado mais preocupante.

A rejeição à renúncia pode indicar o medo de que o país fique ainda mais tumultuado. Mas os 52% têm outro componente. A certeza de que ele tem condições de governar.

Pode ter condições o sujeito que tem aprovação de apenas 18% à sua ideia de liberação total das pessoas e das atividades em meio à pandemia?

Os analistas de pesquisa devem estar se dedicando a interpretações variadas. A Folha pode complicar tudo na próxima pesquisa, se perguntar o seguinte: o mais importante é combater a pandemia ou assegurar emprego?

Mandetta venceria, mas não de goleada.

4 thoughts on “

  1. Pois então, essa pesquisa me deixou muito confusa. Não tanto pela renúncia, pois se a pergunta era “você acha que Bolsonaro deve renunciar?” . É muito fácil responder “Não”… quero que ele seja deposto.
    O que me deixa estupefata é que mais de 40% ache que ele “ESTÁ conduzindo bem” a situação!(!!??)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


8 + 3 =