A PONTA DA LÍNGUA DE DALLAGNOL

Um trecho das conversas vazadas hoje para o Intercept entre Deltan Dallagnol, o juiz Sergio Moro e outros integrantes da força tarefa da Lava-Jato mostra que o procurador estava indeciso sobre a acusação contra Lula no caso do tríplex.
Dallagnol não acreditava nas provas e não tinha convicções. Mas foi adiante.
Essa foi uma barbeiragem do processo sempre apontada por juristas que consideram que não há nenhuma relação entre o caso do tríplex e as denúncias envolvendo a Petrobras.
Veja o que Dallagnol escreveu na época em uma das mensagens vazadas agora para o Intercept:
“Falarão que estamos acusando com base em notícia de jornal e indícios frágeis… então é um item que é bom que esteja bem amarrado. Fora esse item, até agora tenho receio da ligação entre petrobras e o enriquecimento, e depois que me falaram to com receio da história do apto… São pontos em que temos que ter as respostas ajustadas e na ponta da língua”.
Sabe-se que a ponta da língua de Dallagnol produziu, entre outras coisas, o famoso e constrangedor powerpoint com as bolinhas azuis…
Foi quando um colega de Dallagnol admitiu publicamente que tudo o que eles tinham era convicção.
Descobrimos agora que eles não tinham nem provas nem convicções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


5 + 6 =