GILMAR MENDES NÃO LARGA DO PÉ DELES

Mais dois recados de Gilmar Mendes aos militares, hoje à tarde no Twitter:

A primeira postagem:

“No aniversário do projeto que leva o nome de Rondon, grande brasileiro notabilizado pela defesa dos povos indígenas, registro meu absoluto respeito e admiração pelas Forças Armadas Brasileiras e a sua fidelidade aos princípios democráticos da Carta de 88”.

A segunda postagem:

“Não me furto, porém, a criticar a opção de ocupar o Ministério da Saúde predominantemente com militares. A política pública de saúde deve ser pensada e planejada por especialistas, dentro dos marcos constitucionais. Que isso seja revisto, para o bem das Forças Armadas e da saúde do Brasil”.

____________________________________________________________________

JUSTIÇA E JUSTICEIROS
O presidente Alberto Fernández convidou um grupo de juristas notáveis da Argentina para que apresentem propostas de reformas na composição da Corte Suprema do país e no funcionamento do Ministério Público federal.

Na Argentina, o Judiciário persegue as esquerdas há muitas décadas. O governo defende que juristas das mais variadas tendências corrijam defeitos de uma instituição que faz lá o que a direita faz aqui.

Fernández quer mais justiça e menos justiceiros. O grupo tem 60 dias para apresentar sugestões.

Uma ideia impossível de ser levada adiante aqui, enquanto o poder estiver nas mãos da extrema direita e o Judiciário sob o controle (ainda que precário) do lavajatismo.

2 thoughts on “GILMAR MENDES NÃO LARGA DO PÉ DELES

  1. Eles continuam a falar sem dizer nada. Que ótimos políticos esses juízes são! Rsrs.

    Gilmar Mendes sabe que, ainda que Bolsonaro coloque um civil no Ministério da Saúde, será apenas para dar continuidade a tudo que está acontecendo.

    O que ele está pedindo? Para que coloquem um civil para o exército não se queimar? Ele pede por mais uma “cortina de fumaça”?

    O próprio exército fabricou cloroquina aos montes, mesmo sabendo que a cloroquina e hidroxicloroquina pode MATAR.

    Ele está preocupado com a “imagem” do exército e não com o genocídio em si, porque se a preocupação fosse o genocídio, ele falaria sobre exumação e autópsia de corpos, já que eu NÃO ACREDITO que a maioria morreu por Covid.

    A preocupação dele é com a IMAGEM do exército. Só.

    Lamentável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


5 + 3 =