O BRASILEIRO SE FINGE DE MORTO

A juíza carcereira de Lula decidiu transferi-lo para São Paulo para ampliar a humilhação que a Lava-Jato impõe ao ex-presidente, às esquerdas e aos brasileiros.
Ela e toda a extrema direita sabem que podem fazer o que bem entenderem. A direita do golpe já sabia. Agora, o fascismo no poder sabe melhor ainda.
Se a juíza decidisse hoje transferir Lula para uma solitária, haveria reação dos advogados, de alguns juristas, de políticos do PT, de artistas e nada mais.
O Judiciário ainda sob o comando de Sergio Moro sabe que pode fazer o que quiser com Lula porque o Brasil é um país acovardado.
A Lava-Jato sabia até que poderia tentar expulsar ministros do Supremo, como revelam as mensagens de Dallagnol para seus pupilos divulgadas ontem e hoje.
Apesar da publicação das mensagens denunciadoras do conluio de Moro e Dallagnol, a Lava-Jato continua tentando se impor. A juíza, em resposta à fragilização de Moro, estica a corda, para saber quais são os novos limites.
O limite é dado pela acomodação geral. O Brasil ainda é humilhado pelo lavajatismo, agora assumidamente bolsonarista, enquanto se reafirma todos os dias que Bolsonaro tem o apoio difuso de apenas um terço da população.
Do outro lado, a maioria de dois terços está sesteando. É a mais profunda sesta da História. Onde estão os estudantes? O que foi feito dos jovens?
O Brasil resignado, alienado e acovardado dorme para se fingir de morto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


9 + 4 =