A manipulação

A melhor análise sobre a manipulação de informações pela imprensa, no esforço pela manutenção do interino, está no texto dos jornalistas Glenn Greenwald e Erik Dau, do site intercept.

Eles jogam luzes nas sombras da já famosa pesquisa escondida pela Folha.

O americano Glenn Greenwald tem ajudado a divulgar no Exterior a farsa do golpe no Brasil e por isso é visto com desconfiança pelo jornalismo embarcado.

O texto mostra que a prioridade do projeto conservador agora é tentar salvar Michel Temer de qualquer jeito, com boas notícias nos jornais e na TV, considerando-se que a opção tucana (a preferida), em eventual eleição, foi para o ralo.

Leia aqui:

https://theintercept.com/2016/07/20/folha-comete-fraude-jornalistica-com-pesquisa-manipulada-visando-alavancar-temer/

Isso é muito feio

banksy2

A notícia sobre a pesquisa que a Folha escondeu (62% dos eleitores querem novas eleições) está em todos os sites hoje, inclusive de O Globo.

Mas não há uma linha, uma só, sobre o fato na versão impressa da própria Folha. Nem no online.

Vasculhei a Folha agora e não achei nada. Posso não ter visto algum registro sobre o “erro”, perdido em algum canto, mas admito que não achei nada. Quem tiver alguma informação, que me passe.

O que está claro sobre a pesquisa é que a Folha fez uma opção desrespeitosa (para usar um eufemismo) não só com seus leitores. Não se trata aqui de debater critérios jornalísticos. O erro cometido está acima de normas de redação ou de bom senso para quem lida com informação.

Não é um erro como muitos dos cometidos todos os dias nas redações e que são da natureza do jornalismo. É um “erro” deliberado, que não poderia ficar impune.

É óbvio demais que, se uma pesquisa diz que 62% da população deseja eleições, essa informação é mais relevante do que outro dado que diz que, entre Temer e Dilma, os eleitores (50%) preferem Temer (mesmo que também esse dado esteja sob suspeita).

Dois terços da população querem novas eleições, não querem Temer.

O que a Folha fez compromete o jornalismo dito independente e subestima o contingente da população que o sustenta, a classe média crítica, bem informada, que hoje se abastece de outros meios para pelo menos diversificar pontos de vista.

Foi o que os blogs fizeram a respeito da controversa pesquisa. Sem o esforço dos blogueiros para entender o levantamento do Datafolha e suas interpretações, o dado escondido continuaria sob o tapete.

A transparência que o jornalismo sempre defende deve valer também para o próprio jornalismo, ou veículos como a Folha estarão, a partir de agora, sempre sob suspeita.

O relatório do próprio Datafolha, que denuncia a fraude jornalística cometida pelo jornal, está no linck abaixo:

http://media.folha.uol.com.br/datafolha/2016/07/20/av-presidente-michel-temer-completa.pdf