OS CUIDADOS DE MOURÃO

A entrevista do general Mourão para a Folha é um mingau de aveia feito com adoçante. Há muito tempo não se lia uma entrevista de página inteira sem uma informação, uma frase contundente.

Tudo bem que essa é a estratégia de Mourão hoje. Ser sensato, em meio ao desvario dos Bolsonaros, e não dizer nada.

Mas aí não vale uma entrevista deste tamanho para informar que falta coordenação nas “ações no final”, falando da estratégia contra a pandemia, e que Carluxo não tem, oficialmente, nenhuma função no governo.

O que Mourão diz na entrevista de duas horas o seu Mércio, aqui da ferragem da Juca Batista, resume em um minuto.

A Folha apertou Mourão por todos os lados. Foi uma conversa em que o vice não perdeu a chance de acentuar que a hora é de sensatez.
Fica claro na entrevista que, na hora da verdade, dá pra contar com o Mourão.

(O link para a entrevista está logo abaixo da nota sobre Mandetta)

A GANGORRA DE MANDETTA
A expectativa do domingo é a fala do Mandetta com o balanço da pandemia.
Quem virá aí, o Mandetta de ontem, pedindo que fiquem em casa, ou o Mandetta que havia aderido ao discurso de Bolsonaro?

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/03/em-entrevista-a-folha-mourao-aponta-falta-de-coordenacao-em-acoes-finais-contra-coronavirus.shtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Website Protected by Spam Master


4 + 6 =