OS EXCESSOS E AS “PESSOAS DE COR”

Duas declarações reafirmam o que pensam nossas elites, num momento em que não há como tentar passar pano com palavras bem escolhidas, no caso do assassinato do trabalhador negro João Alberto Silveira Freitas, no Carrefour. Primeiro, a frase do governador gaúcho, Eduardo Leite: “As cenas são incontestes de que houve excessos que deverão ser apurados

MORO NÃO É DELATOR, É ALCAGUETE

Sergio Moro pode ter um dossiê contra Bolsonaro. Pode ter grampeado e reunido todas as conversas que teve com o homem. É provável que tenha documentado tudo o que considera crime e pode até, segundo alguns, acabar envolvido nas próprias acusações, se ficar provado que foi cúmplice ou omisso. Mas Sergio Moro ainda não é

A ARMA, O ASSASSINO E O ESPECIALISTA

Este não é um relato para quem já está saturado de ler sobre a chacina na zona sul de Porto Alegre. O assassino do casal e do filho apresentou-se à polícia. Dionatha Bitencourt Vidaletti teve dois dias como foragido para preparar sua defesa. Disse ao delegado que a arma com que matou as três pessoas

A BARBÁRIE E O JORNALISMO

O jornalismo aprendeu, desde muito antes de Truman Capote, que um crime será contado pela metade se pouco ou nada se ficar sabendo do criminoso. Por isso a missão do jornalismo agora é contar quem é, o que faz, por que andava armado Dionatha Bitencourt Vidaletti, assassino do pai, da mãe e do filho na

A barbárie e o jornalismo frouxo

É burocrática, desleixada, sustentada apenas pelas informações do delegado, a cobertura do assassinato de um casal e um filho por um sujeito armado na zona sul de Porto Alegre (e por causa de uma briga de trânsito!!!). Os chamados grandes jornais desmontaram suas equipes e sobrevivem nos fins de semana com plantões heroicos. As reportagens

O TARADÃO E O QUADRILHÃO

O ministro Marco Aurélio determinou que ninguém pode prender o fazendeiro mandante do assassinato de irmã Dorothy Stang, a missionária americana morta no Pará em 2005. O ministro do Supremo argumentou que Reginaldo Galvão foi condenado em segunda instância a 30 anos de cadeia, mas que ele, Marco Aurélio, é contra o cumprimento de prisão

O promotor

Vejam este vídeo em que o promotor Theodoro Alexandre da Silva Silveira se mostra preocupado, imaginem, com a presença de menores em uma exposição de Júlio de Castilhos. Este é o promotor que não estava muito preocupado em acusar e agredir com palavras uma adolescente estuprada pelo próprio pai. O caso teve repercussão internacional, a