UM DIA SABEREMOS

Continuo recebendo, todos nós recebemos, dezenas de mensagens com o vídeo em que se erguem interrogações sobre as pessoas, as movimentações e outras questões do atentado a Bolsonaro.
O Brasil será melhor no dia em que descobrirmos tudo, ou quase tudo, sobre a ascensão de Bolsonaro e sua turma ao poder, sobre os conluios com o Judiciário e a imprensa, sobre a trajetória de Sergio Moro, sobre o que há além de Queiroz, sobre o que Tacla Duran conta e ninguém investiga, sobre a máfia que matou Marielle.
Hoje, sabemos muito, mas são indícios que poderão levar a esclarecimentos daqui a algum tempo. Um dia teremos as provas do golpe contra Dilma, da prisão de Lula, da tentativa de massacre dos líderes das esquerdas.
Eu torço para que isso aconteça logo e pretendo participar do jeito que for possível dos esforços que levem a esses esclarecimentos.
O Brasil hoje na penumbra do bolsonarismo saberá desvendar o que nos levou à idiotia e ao fascismo.
(O link para o vídeo está na área de comentários. Que cada um lide como quiser com as perguntas apresentadas. Me interessam principalmente as indagações das imagens do atentado.)

 

 

 

DOENTES

Altas autoridades das altas cortes, altos políticos, altíssimos empresários, altos palpiteiros, altos jornalistas fofos, altos ‘pacifistas’ poderiam parar de tratar o ataque a Bolsonaro como um atentado político à democracia.
Foi um atentado a um político, mas parem de discursar como se condenassem a ação articulada de alguém que se expressa politicamente.
Bolsonaro foi vítima de uma pessoa doente. A imprensa estrangeira já deu ao caso o tratamento que merece.
Bolsonaro acionou a ira de um indivíduo que desejou sua morte, inspirado talvez na retórica fascista do próprio Bolsonaro.
O agressor, a cena, as reações e os ódios potencializados podem ser a expressão de um país doente do ponto de vista social e político.
O doente não é só o homem da faca. Por isso, parem com essa história de atentado à democracia.
Bolsonaro nunca foi guardião da democracia. Usem seus latins para outras pregações.