O RIO QUE ODEIA BOLSONARO

As estruturas da contravenção misturadas ao Carnaval sempre estiveram a serviço dos políticos de plantão no poder do Rio. O fenômeno que se exibe agora parece ser o da desconexão entre o poder do Carnaval e o poder da direita representada por todas as suas expressões políticas na cidade. Escolas e arquibancadas mostraram não ter

A imprensa subjugada

O assassinato de Ágatha não é manchete de nenhum dos jornais da grande imprensa. Nenhum. Nem dos jornais do Rio. Nem do Globo. Nem mesmo do Extra e do Dia, considerados populares e mais próximos dos moradores dos morros e das comunidades pobres. A imprensa tem apenas brigas particulares com o fascismo, porque se desentendeu

As escolas do Rio ficam agora à espera do bom jornalismo (e da ciência política) para que se compreenda a dimensão da trincheira que criaram na resistência democrática. E que resistência. O que se viu na Sapucaí é a arte popular tentando sobreviver ao avanço do moralismo neopentecostal e da extrema direita aliada aos milicianos,

A foto do Crivella

Ainda tem gente vibrando (principalmente a esquerda carioca) com o retrato do Crivella fichado pela Polícia em 1990, que saiu agora na capa da Veja. É uma bobagem. E ainda há todo um debate jurídico sobre a ilegalidade da foto. Crivella tem outros delitos, mais recentes, que merecem abordagem. Um retrato antigo, sobre a participação