A festa do jornalismo perseguido pelo macrismo

Uma cena emocionante da equipe do canal C5N, de Buenos Aires, comemorando (sim, comemorando) o fim da Era Macri, de destruição da economia, de perseguição à imprensa progressista e de disseminação do ódio, num país que nunca teve tanto desemprego e tanta miséria. Quem quiser, que fique com a imprensa “neutra” e fofa do Brasil.

A MÁFIA E A IMPRENSA

A bomba nos pés do jornalismo da Argentina hoje é a denúncia de Pérez Esquivel sobre o esquema de espionagem montado pela direita macrista. O caso não é novo e já está na Justiça. A novidade é a descoberta de envolvimento de jornalistas da grande imprensa. O esquema mafioso, para perseguir as esquerdas, especialmente Cristina

A resposta de Sorín ao amigo de Bolsonaro

Não há hoje no Brasil ninguém parecido com Juan Pablo Sorín, ex-lateral da seleção argentina, que jogou no Barcelona e no Cruzeiro. Sorín foi um craque. É politizado, engajado a questões sociais e tem uma mente brilhante. Desde ontem, ele está na capa do jornal Página 12, porque Maurício Macri disse mais uma de suas

ABANDONARAM MACRI

Os comentaristas de política e economia do La Nación e do Clarín, dois jornais que sustentam a direita argentina e que sempre venderam Macri como o exemplo de liberal latino-americano, entregaram os pontos. Li muitos deles ontem e hoje. Assim como a grande imprensa abandonou Bolsonaro aqui, os jornais argentinos estão largando Macri. Não há

OS JORNALISTAS E A IMPRENSA

Esta foto é de uma manifestação desta semana de jornalistas argentinos diante do Congresso, em Buenos Aires. Mais de 30 jornalistas, principalmente fotógrafos, foram feridos por tiros de bala de borracha e bombas de gás da polícia de Macri nas manifestações da semana passada. O que eles pedem é o direito elementar de trabalhar para