O fiasco dos generais com a sequência de golpes fracassados

Até o tenente Jair Messias Bolsonaro sabia que o golpe do general Juan José Zuñiga (foto) não daria certo. Pelos antecedentes de rebeliões militares recentes e porque a qualidade dos generais é precária, não só na Bolívia. O primeiro dado diferente e relevante, em relação ao golpe boliviano bem sucedido (por um ano) de 2019,

TERMINOU A TRÉGUA COM O BOLSONARO BOLIVIANO

Os principais líderes civis do golpe de novembro de 2019 contra Evo Morales escaparam das condenações da semana passada, mas talvez não continuem escapando por muito tempo. O Movimento ao Socialismo (MAS), liderado por Evo, decidiu em encontro dos seus dirigentes, no fim de semana, encaminhar denúncias contra pelo menos 10 políticos que até agora

GOLPISTAS, PRESTEM ATENÇÃO NO QUE ACONTECEU NA BOLÍVIA

A ex-senadora Jeanine Añez, agora condenada a 10 anos de cadeia, é a gaiata que teve inesperado protagonismo no golpe boliviano, quando não deveria ter sido nem figurante. Por isso Bolsonaro força a barra quando tenta se comparar a Jeanine, como fez nos Estados Unidos ao dizer que ela e ele são perseguidos pelo Judiciário.

GOLPISTAS EM LIBERDADE

Esses dois aí da foto são os ex-comandantes da Marinha Palmiro Jarjury (à esquerda) e da Força Aérea Boliviana Gonzalo Terceros. Os dois finalmente confessaram participação no golpe de 2019 contra Evo Morales, foram condenados a três anos de prisão, mas ficarão soltos porque colaboraram com a Justiça. Na Bolívia, golpista não fica impune. Até

OS GOLPISTAS CONFESSARAM

Uma notícia para os candidatos a ajudante de golpista no Brasil. Dois ajudantes bolivianos finalmente admitiram que participaram do golpe de 2019 contra Evo Morales. São os ex-comandantes da Força Aérea, Gonzalo Terceros, e da Marinha, Palmiro Jarjuri Rada. Eles pediram ao Ministério Público um julgamento abreviado. Significa que confessam os crimes de motim, insubordinação

COMO A EXTREMA DIREITA ABANDONA SEUS MILICIANOS

O filme ‘Não olhe para cima’ tem uma situação exemplar do destino de subalternos e bajuladores (incluindo parentes) que se consideram parte da estrutura de poder montada por direita e extrema direita no século 21. Digo isso e aviso que esse texto é para quem já viu o filme e para quem não liga para

OS AVISOS DOS MILITARES DA VIZINHANÇA

Bolívia e Peru oferecem alguns sinais do que pode acontecer no Brasil, quando Lula retornar ao poder e tiver de devolver os militares às suas tarefas, depois de escolher os comandantes das três armas, além do ministro da Defesa. Na Bolívia, o presidente Luis Arce já trocou três vezes o alto comando das Forças Armadas. Em

O TRISTE FIM DE UM CHEFE DE POLÍCIA MILITAR DEPOIS DO GOLPE FRACASSADO

O general boliviano Yuri Calderón (foto) não é mais nada desde sexta-feira. Não é general, não pertence mais à Polícia Nacional, está preso preventivamente e pode ser condenado criminalmente a continuar na cadeia. Já o líder civil que o induziu a cometer crimes como golpista está solto. É uma realidade que os policiais militares brasileiros,