A BARBEIRAGEM NA CHEGADA

Luiz Henrique Mandetta comete uma barbeiragem grave ao chegar para depor na CPI do Genocídio. Mandetta cumprimentou o presidente da CPI, Omar Aziz, e o relator, Renan Calheiros, com aperto de mão. Desrespeitou uma regra básica de cuidado, que ele mesmo defendia, ou dizia defender. No primeiro gesto na principal vitrine política do país hoje,

OS SENTIMENTOS DE WEINTRAUB

Abraham Weintraub falando em liberdade de expressão é dose. Esta é a parte mais engraçada do depoimento que ele deu por escrito ontem à Polícia Federal, ao comentar o que escreve nas redes sociais: “Algumas manifestações expressam sentimentos, outras buscam informar e outras levantam questões para debate”. Ah, os sentimentos de Weintraub. Passaram o dia

VAMOS AGUARDAR A DELAÇÃO DE WEINTRAUB

Já tivemos muitas delações de ex-bolsonaristas, mas nenhuma será como a que pode estar vindo aí. Já desfrutamos das informações de delatores do porte de Alexandre Frota, Joice Hasselmann, Gustavo Bebianno, Sergio Moro e Paulo Marinho. Mas a delação mais emocionante, porque que terá carga dramática, será a de Abraham Weintraub. O bolsonarismo será dividido

Moro não diz nada

Anotações do depoimento de Sergio Moro na Câmara. Deputado Paulo Pimenta diante de Sergio Moro, ao acusá-lo de grampear criminosamente a presidente da República: “O senhor, que gosta tanto dos Estados Unidos, sabe que se tivesse feito isso lá o senhor já estaria preso há muito tempo”. ………………. Sergio Moro não está respondendo nada. Está

A Lava-Jato tem medo do quê?

O que os procuradores da República temem quando atacam o pedido de Lula pela total transparência na filmagem do depoimento do dia 10 em Curitiba? Lula defende que as câmeras captem quem está falando, e não só quem está depondo. Até agora, o método usado nos depoimentos ao juiz Moro (e ao Tribunal Superior Eleitoral)