A EXTREMA DIREITA ESTÁ VIVA

São apenas dois anos desde o início das manifestações de rua no Chile. Os jovens conquistaram para o país o direito a uma Constituinte com a participação de indígenas, mulheres e candidatos independentes. O Chile avisou ao mundo que a democracia estava viva e forte. A bravura custou centenas de prisões, torturas, perseguições. Mais de

GOLPISTA TAMBÉM PRECISA TER TALENTO

Sem golpistas com talento, os golpes não funcionam. Um golpe com gente forte, na política e na área militar, mas pouco talentosa pode até ser aplicado, mas não se sustenta. Só talvez no Afeganistão. Foi o que aconteceu na Bolívia, onde o golpe contra Evo Morales durou um ano. Os golpistas civis e militares eram

A ACELERAÇÃO DE RICARDO BARROS

O ritmo de Ricardo Barros na CPI do Genocídio é de aceleração na arrancada. O líder de Bolsonaro parece um narrador de corrida de cavalos. Está ofegante. Há uma mistura de excitação, nervosismo e impaciência. E já disse essa frase para fazer rir: “O combate à corrupção está no DNA do governo Bolsonaro”. A tropa

NATALIA PASTERNAK E AS EMAS

“Cloroquina é uma mentira espalhada pelo governo federal e pelo Ministério da Saúde e ela mata”, disse a microbiologista Natalia Pasternak na CPI do Genocídio, para completar logo depois: “Senhores, a cloroquina já foi testada em tudo. A gente testou em animais, a gente testou em humanos. A gente só não testou em emas, porque

O MISTÉRIO DA MÉDICA DERROTADA PELAS GANGUES DA CLOROQUINA

É incômoda a dúvida que já existia e apenas foi fortalecida pelo depoimento da infectologista Luana Araújo na CPI do Genocídio. Como alguém com as posições, o currículo e o talento de Luana achou que poderia enfrentar, com a ciência, as gangues negacionistas da cloroquina no Ministério da Saúde? A médica ficou apenas 10 dias

O DEPOIMENTO DA CAPITÃ CLOROQUINA AO VIVO

Começa agora o que promete ser um dos maiores espetáculos da CPI do Genocídio, o depoimento da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, a médica Mayra Pinheiro, a “capitã cloroquina”. Mayra tem o direito de ficar em silêncio sobre fatos ocorridos entre dezembro de 2020 e janeiro

PAZUELLO MENTE, DESMAIA, LEVANTA E ACHA QUE ESCAPA

A estratégia de Eduardo Pazuello na CPI, antes do desmaio, surpreendeu quem mais fazia torcida do que prospectava possibilidades sobre seu depoimento. A torcida esperava que Pazuello saltasse fora e largasse tudo no colo de Bolsonaro. Se ele tinha a garantia de que não precisava responder perguntas que o incriminassem, esperaram que o general comprometesse

AO VIVO, O DEPOIMENTO DE PAZUELLO

Eduardo Pazuello apresentou-se como “um homem comum”, na primeira fala na CPI do Genocídio. O homem comum apareceu de terno (chegaram a anunciar que iria de farda) e sob a proteção de Flavio Bolsonaro. Pazuello está falando há mais de meia hora, sem interrupção. Quem não o conhece pode achar que está ouvindo o maior

FINALMENTE, UM GENERAL É INTERROGADO POR CIVIS

Bolsonaro conseguiu o que a Comissão da Verdade tentou desde 2014, quando da conclusão do seu relatório sobre os crimes da ditadura. Bolsonaro ofereceu um general aos interrogadores civis da CPI do Genocídio. A Comissão da Verdade pediu a responsabilização civil e criminal de 377 autoridades apontadas por envolvimento em todo tipo de violência, das

A BARBEIRAGEM NA CHEGADA

Luiz Henrique Mandetta comete uma barbeiragem grave ao chegar para depor na CPI do Genocídio. Mandetta cumprimentou o presidente da CPI, Omar Aziz, e o relator, Renan Calheiros, com aperto de mão. Desrespeitou uma regra básica de cuidado, que ele mesmo defendia, ou dizia defender. No primeiro gesto na principal vitrine política do país hoje,