NATALIA PASTERNAK E AS EMAS

“Cloroquina é uma mentira espalhada pelo governo federal e pelo Ministério da Saúde e ela mata”, disse a microbiologista Natalia Pasternak na CPI do Genocídio, para completar logo depois: “Senhores, a cloroquina já foi testada em tudo. A gente testou em animais, a gente testou em humanos. A gente só não testou em emas, porque

O MISTÉRIO DA MÉDICA DERROTADA PELAS GANGUES DA CLOROQUINA

É incômoda a dúvida que já existia e apenas foi fortalecida pelo depoimento da infectologista Luana Araújo na CPI do Genocídio. Como alguém com as posições, o currículo e o talento de Luana achou que poderia enfrentar, com a ciência, as gangues negacionistas da cloroquina no Ministério da Saúde? A médica ficou apenas 10 dias

O DEPOIMENTO DA CAPITÃ CLOROQUINA AO VIVO

Começa agora o que promete ser um dos maiores espetáculos da CPI do Genocídio, o depoimento da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, a médica Mayra Pinheiro, a “capitã cloroquina”. Mayra tem o direito de ficar em silêncio sobre fatos ocorridos entre dezembro de 2020 e janeiro

PAZUELLO MENTE, DESMAIA, LEVANTA E ACHA QUE ESCAPA

A estratégia de Eduardo Pazuello na CPI, antes do desmaio, surpreendeu quem mais fazia torcida do que prospectava possibilidades sobre seu depoimento. A torcida esperava que Pazuello saltasse fora e largasse tudo no colo de Bolsonaro. Se ele tinha a garantia de que não precisava responder perguntas que o incriminassem, esperaram que o general comprometesse

AO VIVO, O DEPOIMENTO DE PAZUELLO

Eduardo Pazuello apresentou-se como “um homem comum”, na primeira fala na CPI do Genocídio. O homem comum apareceu de terno (chegaram a anunciar que iria de farda) e sob a proteção de Flavio Bolsonaro. Pazuello está falando há mais de meia hora, sem interrupção. Quem não o conhece pode achar que está ouvindo o maior

FINALMENTE, UM GENERAL É INTERROGADO POR CIVIS

Bolsonaro conseguiu o que a Comissão da Verdade tentou desde 2014, quando da conclusão do seu relatório sobre os crimes da ditadura. Bolsonaro ofereceu um general aos interrogadores civis da CPI do Genocídio. A Comissão da Verdade pediu a responsabilização civil e criminal de 377 autoridades apontadas por envolvimento em todo tipo de violência, das

A BARBEIRAGEM NA CHEGADA

Luiz Henrique Mandetta comete uma barbeiragem grave ao chegar para depor na CPI do Genocídio. Mandetta cumprimentou o presidente da CPI, Omar Aziz, e o relator, Renan Calheiros, com aperto de mão. Desrespeitou uma regra básica de cuidado, que ele mesmo defendia, ou dizia defender. No primeiro gesto na principal vitrine política do país hoje,

OS SENTIMENTOS DE WEINTRAUB

Abraham Weintraub falando em liberdade de expressão é dose. Esta é a parte mais engraçada do depoimento que ele deu por escrito ontem à Polícia Federal, ao comentar o que escreve nas redes sociais: “Algumas manifestações expressam sentimentos, outras buscam informar e outras levantam questões para debate”. Ah, os sentimentos de Weintraub. Passaram o dia

VAMOS AGUARDAR A DELAÇÃO DE WEINTRAUB

Já tivemos muitas delações de ex-bolsonaristas, mas nenhuma será como a que pode estar vindo aí. Já desfrutamos das informações de delatores do porte de Alexandre Frota, Joice Hasselmann, Gustavo Bebianno, Sergio Moro e Paulo Marinho. Mas a delação mais emocionante, porque que terá carga dramática, será a de Abraham Weintraub. O bolsonarismo será dividido