AS SUGESTÕES DE LEITURA DE MANDETTA

Recomendação de Luiz Henrique Mandetta em debate ontem na Globo News, para a compreensão dos fenômenos sociais e, no caso específico, os danos e as possíveis reações às perdas com a pandemia: “Leiam Casa Grande & Senzala, leiam Florestan Fernandes, leiam Darcy Ribeiro”. Não subestimem Mandetta. Ninguém faz esse tipo de recomendação ao vento. A

O HOMEM QUE NOS EMPURRA PARA A MORTE

Imagine-se a desolação dos técnicos do Ministério da Saúde em uma reunião com Nelson Teich. Já é terrível em uma coletiva com muita enrolação e frases que se repetem e não dizem nada. Gente que estudou, tem trajetória de defesa da saúde pública, que se dedica a salvar vidas e agora é comandada por um

E ELE SOBREVIVE

Os brasileiros não gostaram da saída de Luiz Henrique Mandetta, reprovada por 64% dos ouvidos pelo Datafolha. Isso quer dizer então que Bolsonaro ficou mal na parada? Não. A imagem de Bolsonaro melhorou, de 33% de ótimo e bom do levantamento feito de 1º a 3 de abril, para 36% agora. Os descontentes, que eram

BOLSONARO ESTÁ DERRETENDO

Estas fotografias são de três momentos de Bolsonaro. São retratos de uma transformação em pouco mais de um ano. A primeira é a foto oficial do presidente, divulgada no dia 10 de janeiro de 2019. Está aí o homem confiante, tão seguro de si e do seu poder que, antes mesmo de assumir, já havia

BOLSONARO FOI ABANDONADO

A pauta que os jornais ainda não fizeram, mas uma hora terão de fazer, deve expor as sobras de apoio político a Bolsonaro. É uma pauta urgente, antes que algo aconteça e se descubra que não sobrava mais nada. Qual é o suporte com que Bolsonaro pode contar para tentar se manter, mesmo que precariamente,

O OLHAR PERDIDO DE BOLSONARO

Ninguém até agora explicou o que aconteceu com Bolsonaro, que apareceu pálido, com o olhar cansado, lento, divagando e inseguro para anunciar o novo ministro da Saúde hoje à tarde. Por que Bolsonaro baixou o tom de voz e só olhava para baixo? Estava abatido demais para quem acabara de se livrar do maior inimigo

BOLSONARO ESTAVA ESTRANHO

Bolsonaro apareceu com uma franja fashion para anunciar a demissão de Mandetta como o que definiu como um “divórcio consensual”. E assegurou que demitiu Mandetta para defender a vida e os empregos. Parecia confuso, lento e estalando a boca seca. Falou da mãe, misturou a história da mãe com os trabalhadores informais, olhou quase sempre

POR QUE UM ONCOLOGISTA?

O oncologista Nelson Teich, substituto de Luiz Henrique Mandetta, também parece ser bom de comunicação. Deixou boa impressão na primeira aparição pública ao lado de Bolsonaro. Falou com facilidade. É provável que tenhamos mais um performático, com outro estilo, mais esquemático e com menos emoção. A pandemia também tem a capacidade de preparar surpresas. Mas