O SERVIDOR QUE NÃO SE CALA

Em nenhuma outra área do governo a revolta dos servidores com os desatinos de Bolsonaro é mais aberta, pública, explicitada e sem volteios do que no Ministério do Meio Ambiente e em órgãos do sistema de proteção da Amazônia. Se o desastre previsto para a floresta se confirmar, nos próximos anos, muitos servidores poderão dizer

BOLSONARO E WEINTRAUB DESMORALIZAM O BANCO MUNDIAL

Pode fazer sentido, como formalidade, a resposta do Conselho de Ética do Banco Mundial à carta de funcionários da organização com o alerta sobre quem é Abraham Weintraub. Mas a resposta não pode ser aceita sem questionamentos. Sabe-se que os servidores alertaram que Weintraub é um sujeito em desacordo com tudo o que o banco

O DESESPERO DA GLOBO E A RESPOSTA DE LULA

A Globo achou que levaria adiante a guerra contra Bolsonaro sem as esquerdas. Líderes do PT sumiram da cobertura desde o golpe de 2016 e desapareceram das pautas globais em todos os jornais. E o Jornal Nacional passou então a ouvir políticos liberais, economistas liberais, cientistas liberais, tudo que fosse liberal, para atacar Bolsonaro. A

A CARTA DE MIGLIACCIO. DIVULGAR OU NÃO?

É bom o debate sobre a carta deixada por Flávio Migliaccio. Divulga ou não divulga? Parece que o desejo dele seria pela divulgação, ou a carta não teria ficado exposta e sem um destinatário específico. A carta é para o seu público, os destinatários estão no plural (“Me desculpem”), são os que admiram sua arte

“NO FINAL, O BEM VENCERÁ”

A carta do papa Francisco para Lula é um presente não só para Lula, mas para os democratas brasileiros. É a mensagem da esperança engajada contra o fascismo. “Estimado Luiz Inácio, Recebi a sua atenciosa carta do passado 29 de março, com a qual, além de agradecer a minha contribuição para a defesa dos direitos

A carta de Dilma

Além dos políticos golpistas, há jornalistas irritados com a carta que Dilma Rousseff dirigiu aos senadores. Porque, dizem eles, se a carta era endereçada aos senadores, deveria antes ter sido entregue aos destinatários. E Dilma decidiu ler a carta ontem, O jornalismo brasileiro nunca foi tão cartesiano, concreto, previsível. Claro que a carta é dirigida