MENOS EDITORIAIS E MAIS JORNALISMO

A Folha condenou em editorial “a sofreguidão com que Moro se prontificou a participar do governo Bolsonaro”. E descobriu só agora que essa cumplicidade do ex-juiz com a extrema direita “abalou sua credibilidade e, por extensão, a da Lava-Jato”. O que isso significa, enquanto a conta dos mortos da pandemia passa dos cem mil? Nada.

A MESADINHA DE MICHELLE NÃO MUDA NADA

A descoberta dos cheques da mesadinha de Fabrício Queiroz para Michelle Bolsonaro tem o poder de indignar ainda mais os já indignados. E só. Não muda nada em relação aos que não querem desconforto algum com notícias ruins. A base de sustentação de Bolsonaro não se constrange e não se incomoda com nada. Nem com

A BRAVURA DE LUCILA

É uma lição de destemor, de dignidade e de jornalismo a reação da apresentadora da TV argentina C5N Lucila Trujillo diante da agressividade machista do promotor Santiago Terán, durante um debate ao vivo sobre violência contra a mulher. Vale a pena ver, como mais um exemplo da disseminação do fascismo e do ódio de autoridades

MENDONÇA ESTÁ SENTADO NA BOMBA DA SEOPI

Há desfechos previsíveis para o caso dos arapongas que bisbilhotaram servidores considerados perigosos militantes antifascistas pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi). A primeira previsão é esta. A tentativa do Supremo de enquadrar a Seopi, a partir da suspeita de atividades ilegais e antidemocráticas, como observou a ministra Cármen Lúcia, pode fracassar. O ministro André Mendonça,

PEGARAM O CELULAR DE MACRI

Os argentinos conseguiram o que aqui ficou só na ameaça. A Justiça vai periciar o celular de Mauricio Macri, para saber se ele pressionava empresários da área de comunicação para que perseguissem Cristina Kirchner. Já foi noticiado que a um dos empresários, Cristóbal López, do Grupo Indalo, Macri teria dito que queria ver Cristina na

QUEM ERAM OS 11 DE BOLSONARO?

No dia 22 de maio, Bolsonaro bateu na mesa diante dos seus generais, gritou palavrões e anunciou que tomaria o Supremo. Na sua cabeça, ainda sem cloroquina, ele tinha certeza de que seria possível mandar o cabo e o soldado num jipe e, logo atrás, numa Kombi, os 11 substitutos para os ministros que seriam

PEGARAM OS ARAPONGAS ARGENTINOS. QUEM PEGA OS BRASILEIROS?

O homem dessa foto estava pronto para morar no Brasil, onde tem amigos (quem seriam?) e negócios, segundo o jornal digital El Destape. É Gustavo Arribas, que foi o poderoso diretor geral da Agência Federal de Inteligência (AFI) da Argentina. O juiz federal Juan Pablo Augé acabou com o seu sonho brasileiro. Ontem, o juiz

O MUNDO EXALTA O ÍNDIO QUE O BRASIL DESPREZA

Apenas a Folha, dos três grandes jornais brasileiros, tem a morte do cacique Aritana na capa. E mesmo assim está lá embaixo, num cantinho do site, como se fosse uma concessão, só para que não reclamem que o jornal não deu nada. Globo e Estadão esnobaram o cacique. Mas a morte de Aritana Yawalapiti, aos

MORO NÃO QUIS SER ARAPONGA DE BOLSONARO

Sergio Moro escapou de várias bombas no governo Bolsonaro, ao sentir que o sujeito queria usá-lo para fazer o serviço sujo. Iriam estourar bombas na Polícia Federal e na recém descoberta Secretaria de Operações Integradas (Seopi), todas no colo de Moro. As revelações do jornalista Rubens Valente, do UOL, vão aos poucos desvendando o que