Que se expliquem

A Folha mostra que o laranjal atinge quase todos os partidos, e não só o PSL, que usaram mulheres para pegar o dinheiro da cota do fundo partidário (as mulheres tinham direito a 30% do total dos fundos, que são dinheiro público).
São mais de 50 candidatas que receberam altas somas, segundo levantamento da Folha. O indício é a baixíssima votação (há candidatas com menos de 100 votos), principalmente do Pros, PRB, PR, PSD e MDB..
Algumas trabalharam para outros candidatos, mesmo recebendo muito dinheiro. Parece óbvio que apenas pegaram a verba para repassá-lo a alguém.
A reportagem mostra que o PT repassou parte do seu fundo ao Pros, aliado na campanha nacional, e que os recursos foram parar na conta de laranjas do Pros.
Que o PT explique, e logo, o que isso significa, mesmo que venha a alegar que não tinha controle sobre o uso de recursos distribuídos pelo Pros.

O LARANJA PROTEGIDO

Na briga do chefe dos laranjas, Gustavo Bebbiano, com o filho de Bolsonaro (conhecido como Carlucho, atiçado pelo pai), a base política da direita e da extrema direita ficou ao lado de Bebbiano, e não do caçula da família.
Essa base tem uma ‘racionalidade’ que falta aos Bolsonaros. Brigar com Bebbiano é mexer com um sujeito que sabe tudo do PSL, da campanha, da estratégia do WhatsApp, do dinheiro, das farras com os laranjas, de todos os podres da direita.
Os Bolsonaros tentaram jogar para a torcida. Mas os sensatos da turma recomendam: tenham cautela, porque Bebbiano está com medo, surpreso e sob forte emoção.
Bebbiano pode sair atirando pra todo lado em legítima defesa. Até ontem à noite, Bebbiano estava resistindo. Mais uma ameaça de Bolsonaro pode ficar só em ameaça.
E daqui a pouco a Globo, o Globo e a Folha voltam a atacar e derrubam Bebbiano.
Só não derrubam Sergio Moro porque a dívida da Globo com ele, desde o grampo em Dilma e Lula (que o ex-juiz entregou de presente aos Marinho), é uma conta impagável.

O massacre

Uma pergunta para ser respondida ainda nesse início do ano. Os Bolsonaros, o pai e os filhos, conseguirão sobreviver ao cerco da Globo e da Folha de S. Paulo, ambas mobilizadas sob forte emoção?
Eu acho que não. E se Bolsonaro recuar e poupar Bebbiano (o chefe dos laranjas), a Globo (e o Globo) e a Folha voltam ao ataque e derrubam o cara.
Bolsonaro já descobriu que WhastApp e Twitter só funcionam num esquema de disseminação de mentiras numa campanha. No governo, contra o poder da mídia que ele desafiou, são apenas arminhas de dedos.
Se não houver uma trégua, Globo e Folha farão com que a dinastia dos Bolsonaros seja a mais curta de todos os tempos.

Os fãs de Bolsonaro saudaram seu retorno ao trabalho e sua simplicidade ao aparecer para fotos usando abrigo e chinelos Rider.
Que Bolsonaro descubra logo seu espaço no Planalto, fazendo todo o esforço para ele mesmo e seus garotos não atrapalhem o governo de Hamilton Mourão.

Bebbiano, grande chefe do PSL, coordenador de campanha de Bolsonaro e líder dos laranjas da extrema direita, avisa que vai cair atirando.
(Está cada vez mais evidente que Bebbiano ficava com todo o suco do laranjal em Pernambuco. Foi flagrado pela parceria e por isso será degolado. O outro chefe de laranjas, Álvaro Antonio, de Minas, está numa boa porque dividia a safra.)

A POSE DO COWBOY

O indivíduo que disse não saber quem é Chico Mendes se prestou a ir a uma tribo dos Parecis, no Mato Grosso, só para tirar uma foto fantasiado de índio.
Um jagunço ficaria melhor no retrato. Queria ver o sujeito ir ao Acre pra fazer fotinho com os amigos de Chico Mendes.
(Foi isso o que ele publicou no Twitter: “Estivemos hoje na Festa da Colheita dos índios Parecis, que plantam e produzem com muita competência, demonstrando que podem se integrar ao agro sem perder suas origens e tradições”.)
Integrar-se ao agro…