Manuela

Foi boa a caminhada na orla do Guaíba hoje à tarde com Rossetto, Manuela, Abigail, Raul Pont, deputados, candidatos à Câmara e à Assembleia Legislativa e um monte de gente.
Manuela me perguntou: estás gostando dessa experiência? Eu respondi que me divirto fazendo campanha e que sempre vou às caminhadas para estar ao lado do Rossetto e, claro, fazer uma foto com ela.
O Selvino Heck estava por perto (à direita) e deve ter achado engraçado. Mas é verdade. Caminhando e cantando e fazendo foto. Pela democracia e pela volta do PT ao poder.
Porque essa é uma alegria que a direita não tem. E porque as fotos com Manuela bombam no Facebook tanto quanto as fotos com Olívio. Até a eleição eu terei umas 200 fotos com Manuela e Rossetto.
São afinidades. Cada um tira foto com quem quer. Aqui no Estado tem gente que gosta de tirar foto com o Sartori, com Alckmin e até com Bolsonaro.
(As fotos são de Emílio Pedroso)

Sul fascista

Os golpistas tentaram vender a ideia (que ajudou no golpe) de que foi o atraso do Nordeste que consagrou Dilma em 2014. O Sudeste e o Sul seriam a expressão do progresso e do conhecimento, mas perderam (diziam e dizem eles) para a miséria nordestina.
Por isso os bem nascidos se sentiram à vontade para dar o golpe, com o suporte do pato da Fiesp, da imprensa, do Judiciário e do Brasil arcaico.
Pois Bolsonaro tem a maior aprovação do eleitorado no Sul, com 38%. No Nordeste ele tem menos da metade, apenas 16%.
O Sul, que já foi apresentado como a região mais politizada do país, puxa a votação de Bolsonaro.
E o Rio Grande do Sul da República do relho e do nazismo impune lidera o apoio ao sujeito que a direita mais cheirosa tenta empurrar para a sarjeta.
E dizer que ainda nos apresentam (por virtudes que nem sabemos direito quais são) como modelo a toda Terra.

Pesquisas?

As manobras articuladas das pesquisas para tentar fragilizar Haddad num segundo turno podem estar exigindo investigação do Ministério Público.
Se é que os republicanos do MP têm força para romper as barreiras do golpe e investigar as manobras da direita.

NAZISTAS LIVRES

Três dos 14 réus dos ataques de nazistas a três jovens judeus de Porto Alegre, em maio de 2005, foram condenados pelo tribunal do júri.
Mas apenas um dos nazistas, condenado a 13 anos de prisão, ficará preso, porque poderia fugir para os Estados Unidos. Os outros dois nazistas vão recorrer em liberdade.
É preocupante, não só para judeus, mas para negros, gays, índios, pobres e militantes de esquerda.
Por que o rigor, os métodos e as penas da Lava-Jato não valem para criminosos nazistas que atacam jovens com facadas, socos e pontapés?