Vira-lata

Hoje, um comentarista da Folha escreveu que o complexo de vira-lata do brasileiro chegou ao mundo da moda, por causa das críticas a uma roupa estranha, mas genuinamente nacional, usada num clipe pela cantora Anitta.

Chegará o dia em que alguém que falar do complexo para qualquer coisa levará um choque enviado por Nelson Rodrigues de onde estiver. Os editores de jornais deveriam proibir a repetição de uma sacada genial para qualquer besteira.

Peçam pra sair

Quem é servidor público e vem votando em candidatos da direita, incluindo legisladores, que assuma sua parte nos danos que ajuda a promover. O desmonte dos serviços públicos não se dá apenas com corte de verbas. A destruição se dá também pelas cumplicidades.
As instituições federais (as estaduais já estão se indo) caminham para a extinção nas próximas etapas do golpe. A universidade pública será estrangulada moralmente até não ter mais condições de funcionamento.
O desmonte mira SUS, educação, previdência, Justiça do Trabalho. Mas tem gente de muitas dessas áreas que apoiou o golpe e continua votando na direita. Porque deve ter outras formas de sobrevivência e não está preocupada com os direitos da maioria.
O ataque aos bens públicos e à democracia não é culpa apenas do jaburu, do pato da Fiesp, da classe média das panelas, de Aécio e de Gilmar Mendes. É também de muitos servidores públicos que sustentam os que ameaçam o que os próprios servidores fazem.
Servidor público que conspira contra a sua atividade, apoiando o projeto de destruição do Estado, deveria se transferir para a área privada, de preferência para os negócios dos que exploram os serviços que os governos degradam e abandonam para entregar aos amigos. É uma questão de coerência.
Planos de saúde e previdência, organizações tabajara do ensino superior e exploradores do escravismo podem acolher servidores que, ao invés de defender, ofendem o Estado e as pessoas que os sustentam.

Afogado

Aécio Neves tem condições de continuar como senador, por decisão tomada pela unanimidade dos tucanos no Senado. Mas não tem condições de continuar presidindo o partido. É a conclusão de líderes do próprio PSDB.
Pode continuar enganando como ocupante de cargo público, mas não pode enganar os próprios tucanos. O PSDB sabe que salvou um moribundo, para proteger os próximos ameaçados, e agora se encarrega de apressar a morte do afogado.
E o PT quase subiu ao palco do teatro desse salvamento.

Farinha gaúcha

Seu Mércio me manda um WhatsApp com uma pergunta: tem fundamento a notícia de que já está em estudos em Porto Alegre uma farinha feita com restos de churrasco, inspirada na farinata do prefeito Riquinho Dora Júnior?
Segundo seu Mércio, a mistura gaúcha usaria apenas restos de picanha e se chamaria picareta. Seria servida com farinha de pão de alho reciclado.

A mídia e o golpe

O papel da mídia na construção do golpe e as alternativas para a democratização da comunicação estarão em debate no 1º Encontro Gaúcho pelo Direito à Comunicação. O evento será realizado nos dias 27 e 28 de outubro (sexta à noite e sábado), no auditório da Fabico da UFRGS, em Porto Alegre. As inscrições são gratuitas e estão abertas.

Participarei da abertura, no dia 27, no painel sobre o protagonismo da imprensa na derrubada de Dilma Roussef.

http://cutrs.org.br/continuam-abertas-as-inscricoes-ao-1o-encontro-gaucho-pelo-direito-a-comunicacao/