Cuidadoso

Zuenir Ventura no Roda Viva. Cerimonioso com a Lava-Jato e com a intervenção no Rio. Zuenir parece um vovô cheio de cuidados para não contrariar o poder, onde ele estiver.
(Estou desistindo da entrevista, que além disso é muito chata. Prefiro ouvir a direita direto na fonte e não por intermediários dissimulados.)

O torturador

Uma reportagem para quem duvida do avanço do fascismo entre as pessoas vistas como ‘normais’ e que não percebe como os fascistas se movimentam hoje nos labirintos do Judiciário.
Isso sim é jornalismo, meu amigo Cacalos Garrastazu (que me enviou o link).
Aviso aos do Alegrete: prestem atenção no detalhe de que a nossa terra teve um centro de tortura itinerante.

https://www.uol/noticias/especiais/tortura—no-rastro-de-um-torturador.htm#tematico-3

QUEM MAIS SERÁ COMIDO?

Aécio não foi comido sozinho. Todo o PSDB foi engolido. Aécio cometeu, com a soberba dos mafiosos egocêntricos, o erro de levar todo o partido para a morte.
E daqui a pouco a extrema direita fará com que a direita também coma Bolsonaro. A direita racional, que dá os rumos do golpe, está pronta para fazer a limpeza. E vai jogar Alckmin na panela, em nome da ascensão de Joaquim Barbosa.
O partido de Alckmin está avariado. Não há mais conserto. A direita vai se entredevorando, num processo sem fim, como parte do roteiro do golpe.
É possível, como previu o físico Rogério Cerqueira Leite, que até Sergio Moro seja comido logo, se fizer algum movimento em falso. Mas Moro acha que só faz movimentos bem calculados.
Sergio Moro é até agora alguém que come, e não que possa ser comido. Mas nunca se sabe.
Cerqueira Leite alertou o juiz em artigo no ano passado: veja o que acontece com gente como Savonarola, o implacável caçador medieval de pecadores e corruptos que acaba na fogueira.
Savonarola passou dos limites. Mas tem que saber quem a direita está mesmo disposta a comer, para que nada fuja do controle do golpe. Os bem comportados da política e do Judiciário nunca serão comidos.

O que eles dizem

Frases da direita que se repetem desde antes do golpe, saídas das bocas de seguidores de Sergio Moro (e da boca do próprio Moro), de Bolsonaro, de Aécio, do homem da Havan, do homem da Riachuelo…
– A lei é para todos.
– É preciso passar o Brasil a limpo.
– A corrupção é endêmica.
– Não tenho bandido de estimação.
– Que todos sejam punidos.
(Uma frase que eles não dizem mais: nós batemos panelas.)

O GURU DO ‘NOVO’ QUEBROU O REAL

 

Gustavo Franco, o presidente do Banco Central que quase acabou com o Brasil ao quebrar o real, em 1999 (ali começou o fim do PSDB), diz na maior cara de pau hoje em entrevista à Folha que o Novo, o partido dele, tem semelhanças com o PT.

A repórter Flávia Lima perguntou: Qual o diferencial do Partido Novo?

Franco deu esta resposta: “Ele (o partido) é bem mais orgânico do que eu podia enxergar quando estava de fora. Tem muitos filiados, núcleos em tudo quanto é lugar. Gente com ideias. E nisso, curiosamente, se assemelha ao PT quando eu vi ele sendo construído lá nos anos 1980 como partido de base”.

O Novo é mais um partido da direita, de gente do mercado financeiro, do pessoal do Gustavo Franco. Não tem nada de base, é uma organização orientada por uma elite que só pensa em dinheiro.

Mas a direita tem essa mania. Eles batem no PT e batem em Lula, mas na hora de falarem de uma virtude tentam se identificar com o único partido com base ideológica.

Alguém confiaria no guru Gustavo Franco, o cara corrido do Banco Central por Fernando Henrique antes que ele acabasse com tudo o que restava do real?

 

Dedo-duro

Li agora a coluna de Jânio de Freitas na Folha. O maior jornalista brasileiro vivo diz: “Nem um só dos petistas notórios atingidos pela Lava-Jato mencionou o nome de outro para pagar por sua libertação, exceto o já ex-petista Antônio Palocci”.

Por isso, para dizer o óbvio, o PT precisa de mais Suplicys, Olívios, Tarsos, Ponts e Koutziis e nunca mais de tipos como um Palocci, que fez acusações sem provas para livrar a própria cara.

 

Liberal? Onde?

Quantos brasileiros que ainda se consideram liberais (mas são incapazes de enfrentar o golpismo, o reacionarismo e o regime de exceção que vivemos) poderão ler sem conflitos o novo livro de Vargas Llosa, A Chamada da Tribo, com textos de exaltação do liberalismo?
Uma resenha da Folha de S. Paulo diz que o peruano tenta distanciar o “verdadeiro liberalismo” do conservadorismo.
Onde estaria o verdadeiro liberal brasileiro, e não o ultraconservador que se jogou nos braços do bolsonarismo e que agora se aproxima do barbosismo?
Quem é liberal hoje no Brasil, no sentido político amplo? Ou a pergunta deveria ser esta: quem são os reacionários que se apresentam como liberais no Brasil?
Vargas Llosa deve conhecer muitos deles, pois anda sempre por aqui.

Lula e o desespero da direita

A Folha tem uma interessante reportagem hoje com depoimentos de petistas que rejeitam a ideia de um plano B para o PT e para Lula. É uma posição que parece óbvia, não só como expressão de sentimento. É politicamente acertada.

Não parece razoável, sob qualquer hipótese, que um petista passe a considerar um plano B à candidatura de Lula em meio à resistência contra a prisão dele. Seria uma ingenuidade estratégica anunciar que o PT vai definir outro nome, enquanto milhares de pessoas se dirigem a Curitiba para manifestar apoio ao líder preso e mais da metade do Brasil questiona a legitimidade das decisões da Justiça seletiva da lava-Jato.

A maioria das esquerdas quer Lula livre, e não uma alternativa a Lula.

Mas a direita continua insistindo que o PT deve desistir de Lula. Por quê? Porque a direita tem um candidato por semana. A direita tem inveja de Lula e das esquerdas. Já se foram Aécio, Luciano Huck, o homem da Riachuelo, Álvaro Dias, Botafogo Maia, Meirelles. E agora é a vez de Barbosa.

Porque a direita não quer Bolsonaro como única alternativa. Bolsonaro é apenas a fera antiPT, não é um nome para o poder.

Barbosa é o ídolo da direita agora. Pelo menos até a semana que vem. O projeto é implodir Alckmin, como a Globo já vem fazendo, e comer Aécio todos os dias, para que esteja bem comido como exemplo de que os deles também são devorados. Barbosa não pode ter concorrentes nessa faixa.

Antigas apostas tucanas serão apenas corruptos à espera de julgamento. E o que vai acontecer com eles depois? Nada. Porque muitos deles, dos grandões, irão perder o foro privilegiado, deliberadamente, e terão seus casos engavetados na Justiça de primeira instância.

Os corruptos da direita se encaminham todos para a morte política, mas para a salvação como mafiosos. Enquanto isso, Dilma acaba com Aécio em Minas. E Lula, mesmo preso, é o maior líder político brasileiro.